A defesa do ambiente deve ser uma preocupação do Presidente da República, afirmou João Ferreira na visita à escombreira do Cabeço do Pião
Cultura, ambiente e acessibilidades essenciais para desenvolver o Interior

João Ferreira esteve, dia 3, no distrito de Castelo Branco num programa dedicado à valorização da cultura, do ambiente e das acessibilidades e desenvolvimento. O candidato a Presidente da República visitou a Casa da Poesia Eugénio de Andrade e a escombreira do Cabeço do Pião e esteve reunido com a Plataforma de luta contra as portagens na A23 e A25.

A Casa da Poesia Eugénio de Andrade, situada na Póvoa da Atalaia, concelho do Fundão, é um espaço dedicado à vida e obra daquele que é um dos maiores poetas portugueses do século XX. Afirmando a necessidade de valorizar este espaço, como parte do património cultural nacional, João Ferreira sublinhou que a necessidade de dinamização cultural e turística da região deve merecer a atenção e intervenção do Presidente da República.

Na escombreira desactivada do Cabeço do Pião, o candidato tomou conhecimento de um problema ambiental por resolver. Ali, depois de explorados o volfrâmio e gerações de trabalhadores para encher os bolsos de poucos, ficou um depósito de detritos e materiais perigosos votado ao abandono da empresa e à desresponsabilização do Estado: um cenário com riscos ambientais e de saúde pública evidentes, como a contaminação das águas do Zêzere, o risco de colapso da barragem de lamas, entre outros.

A este propósito, João Ferreira referiu a necessidade de um Presidente da República comprometido com a defesa de um ambiente sadio e com a saúde e bem-estar das populações.

Reivindicação justa

Na reunião com a Plataforma contra as portagens, João Ferreira relembrou anteriores encontros que manteve com esta estrutura ao longo dos anos, nomeadamente enquanto deputado no Parlamento Europeu, e identificou as portagens como um grande constrangimento ao desenvolvimento da região, que se soma a outros, associados à interioridade e à ausência de políticas que promovam a coesão territorial.

O candidato a Presidente da República, realçando o fardo que as portagens nas antigas SCUT representam para as empresas, os trabalhadores e os utentes, valorizou o facto de se ter alcançado a redução do seu valor no Orçamento do Estado para este ano. Trata-se, garantiu, de um importante passo para a concretização da justa reivindicação de abolição das portagens.

Para João Ferreira, o fim do pagamento da circulação automóvel na A23 e A25 é uma das medidas essenciais para promover o desenvolvimento regional, a que se deveriam somar outras, como a aposta na rede ferroviária, nos transportes rodoviários e na melhoria das acessibilidades. Para a coesão territorial concorre ainda outro desígnio constitucional – a concretização da regionalização.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: