Congresso da Fesaht reafirma defesa de todos os direitos

Sob o lema «Reforçar a organização, Defender a contratação colectiva, Com a luta valorizar os trabalhadores», realizou-se nos dias 12 e 13, num hotel na Costa da Caparica (Almada), o 6.º Congresso da Federação dos Sindicatos de Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal.

Os delegados analisaram a actividade desenvolvida desde o anterior congresso, realizado em Maio de 2016, e a actual situação social nos sectores abrangidos pelos sindicatos filiados.

No Programa de Acção para 2020-2024, nas moções e numa resolução sobre a acção imediata sobressai a determinação de intensificar a luta nas empresas. A Fesaht/CGTP-IN exige a reabertura de todos os estabelecimentos, a reposição de todos os direitos dos trabalhadores (em especial o pagamento integral das remunerações), a regularização dos salários em atraso, a anulação dos despedimentos colectivos.

Reclamando o cumprimento do direito de negociação da contratação colectiva, é reivindicado um aumento salarial mínimo de 90 euros, a par da actualização do salário mínimo nacional para 850 euros, a curto prazo.

O congresso elegeu a Direcção da federação e aprovou orientações e metas para o reforço da organização sindical, destacando-se a sindicalização de 15 mil trabalhadores e a eleição de 1300 delegados sindicais e de 250 representantes para a Saúde e Segurança no Trabalho, nos próximos quatro anos.

No congresso participou uma delegação da CGTP-IN, da qual fez parte a Secretária-geral, Isabel Camarinha, que interveio no encerramento.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: