Perspectivas de paz no Iémen com conversações na Suécia

Sob os auspícios das Nações Unidas, vão decorrer na Suécia conversações tendo em vista o fim da guerra no Iémen.

Em vésperas da chegada a Saná, a capital iemenita, do enviado especial da ONU, Martin Griffiths, com o objectivo de se avistar com os rebeldes hutis, o rei da Arábia Saudita, Salmán ben Abdelaziz al Saúd, declarou que o seu país apoia os esforços das Nações Unidas para alcançar uma solução política no Iémen.

As declarações do monarca foram feitas após o governo do Iémen, reconhecido internacionalmente, ter informado Martin Griffiths de que participará nas conversações de paz com os rebeldes.

Esse passo, por sua vez, foi precedido pelo cessar dos ataques com mísseis e drones contra a coligação internacional liderada pela Arábia Saudita no Iémen, anunciado pelos hutis do movimento Ansar Allah.

Segundo a ONU, o Iémen sofre a pior crise humanitária do mundo, em resultado da guerra: 22,2 milhões de iemenitas necessitam de ajuda, outros 18 milhões sofrem de «insegurança alimentar» e 8,4 milhões «não sabem se vão comer».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: