Aprovada precariedade para as escolas de Gaia

Com o voto contra dos eleitos da CDU, a Assembleia Municipal de Gaia aprovou, segunda-feira, 2 de Dezembro, a contratação, por ajuste directo e a uma empresa de trabalho temporário do grupo BES/Novo Banco, de 32 técnicos para equipas multidisciplinares de apoio nas escolas do concelho.

A empresa irá receber um milhão de euros para fornecer esses técnicos durante dois anos, não se sabendo se haverá continuidade do projecto. «Esta situação é demonstrativa do que irá ocorrer se for por diante a “descentralização” da Educação: em vez de financiar e melhorar a Escola Pública, os recursos serão canalizados para empresas privadas e para a precariedade dos seus trabalhadores», esclarece a CDU.

Reiterando a necessidade de acabar com a precarização do trabalho, comunistas e ecologistas defendem que a Câmara de Gaia deveria, em alternativa, «contratar directamente os técnicos de que, comprovadamente, carece».

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: