Luta pelo futuro do SAMS

Anteontem, 6, teve lugar uma vigília junto do Hospital SAMS, em Lisboa, para protestar contra o encerramento de serviços clínicos deste equipamento, gerido pelo Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas (SBSI). Segundo a Comissão de Trabalhadores (CT) do sindicato, a direcção decidiu encerrar, a partir de 31 de Março, a maternidade, o bloco de partos e a neonatologia (bercário), ou seja, todos os serviços do piso 4 do hospital.

Em nota de imprensa, onde se refere que nos últimos anos foram investidos milhares de euros nos serviços que agora serão encerrados, a CT dá a conhecer que a direcção do SBSI efectuou um protocolo com o Hospital CUF Descobertas, que também incluía os seus trabalhadores (médicos e enfermeiros), assumindo os seus salários.

O Sindicato dos Médicos da Zona Sul (FNAM) manifestou «apreensão» face ao futuro da instituição e dos postos de trabalho, expressando a sua «total incompreensão perante a gestão de uma administração que primeiro investe fortemente e, pouco tempo depois, encerra, sem que ninguém seja responsabilizado».

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: