1830 – EUA aprovam Lei de Remoção dos Índios

O «Indian Removal Act» foi promulgado por Andrew Jackson, sétimo presidente dos EUA. Possuidor de considerável fortuna, dono de fazendas e de escravos, Jackson criticava nos discursos a política que privilegiava os ricos e apresentava-se como um «homem simples». Eleito pelo partido Democrata, tornou legal a «remoção» dos indígenas das suas terras, como se coisas fossem e não seres humanos, e a criação de uma grande reserva na região que hoje corresponde ao Oklahoma. A «proposta» do governo consistia em trocar terras ricas em água e floresta, como o Tennessi e a Flórida, pelas planícies secas e abertas do Oklahoma, pelo que os índios tentaram resistir e negociar, mas sem sucesso. Entre 1831 e 1838 as tribos Cherokee, Chickasaw, Choctaw, Creek e Seminole, depois chamadas «As Cinco Nações Civilizadas», acabaram por ceder. Mas milhares de homens, mulheres e crianças nunca chegaram a atravessar o Mississipi: morreram vítimas da fome, do cansaço, das doenças, na caminhada de mais de 1500 Km que ficou conhecida como «trilha das lágrimas e morte». As tribos que resistiram à «remoção» foram chacinadas pelo Exército e pistoleiros. Em menos de um século, grande parte das terras das reservas indígenas acabaram por ser abertas à colonização branca.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: