1656 – James Harrington publica Oceana

The Commonwealth of Oceana é a grande obra do político e ensaísta inglês James Harrington (1611-1677), que de forma ficcionada apresenta o conceito de sociedade ideal do autor. O livro, inicialmente censurado, acabou por vir a público dedicado ao lorde protector Oliver Cromwell, que segundo os especialistas pode ser reconhecido no personagem Olphaeus Megaletor, chefe da República de Oceana, ou seja a Inglaterra ideal do interregno (período republicano, de 1649–1660, depois do regicídio de Carlos I e antes da restauração de Carlos II). Harrington, republicano e progressista, é partidário de um governo popular: «as leis e as ordens dum commonwealth, quer sejam provenientes de um único legislador ou de um senado, só podem decorrer de uma autoridade recebida e confirmada pelo voto ou pela indicação do povo», afirma. Precursor da economia política, Harrington enuncia a existência de uma ligação estrutural entre a repartição da riqueza e o tipo de regime e coloca a igualdade como questão central para o sucesso da sua República democrática. Com a restauração, foi acusado de conspirar contra o governo e preso na Torre de Londres, sem julgamento. Transferido depois para a ilha de São Nicolau e mais tarde para Plymouth, Harrington acabou por enlouquecer.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: