Editorial

«Dar mais força à CDU»

POR UMA VIDA MELHOR NUM PORTUGAL COM FUTURO

A situação política e a sua evolução continuam marcadas pelos traços sublinhados pelo Comité Central do PCP na sua reunião do passado dia 28 de Maio. Por um lado, os avanços na defesa, reposição e conquista de direitos na nova fase da vida política nacional com a luta de massas e com a intervenção decisiva do PCP, de que são nova expressão, entre outras, a aprovação na Assembleia da República da Lei de Bases da Habitação, a confirmação da Casa do Douro como instituição pública, instrumento fundamental na defesa dos interesses dos pequenos e médios viticultores durienses, a entrada em vigor a 1 de Agosto do passe familiar na área metropolitana de Lisboa e que urge alargar a todo o País. Assiste-se, por outro lado, à persistência de muitos problemas nacionais pelo facto de o Governo do PS não se libertar da submissão às regras e imposições do euro e da União Europeia e ao domínio do grande capital de que são exemplo a manutenção das normas gravosas da legislação laboral. Assiste-se também à recorrente tentativa de branqueamento das responsabilidades do PS, PSD e CDS na concretização da política de direita, verdadeira causa dos problemas que vivemos. E por fim, a acção dos sectores mais reaccionários, que visa atacar o PCP, usando a mentira, a calúnia e a difamação, impedir o crescimento da CDU, evitar a afirmação da alternativa patriótica e de esquerda e pôr em causa a própria democracia. É o que se depreende de diversas declarações políticas de dirigentes do PSD e CDS e de outros expoentes da política de direita.

E enquanto as carências nos serviços públicos de Saúde continuam a causar descontentamentos junto dos utentes e a servir de motivo para uma ofensiva de envergadura contra o Serviço Nacional de Saúde, o PCP continua a bater-se em sua defesa, exigindo que se garanta o seu carácter de serviço público e que o Governo tome medidas com carácter de urgência para que seja assegurado o seu bom funcionamento.

Foi neste quadro político que esta semana tiveram lugar diversas iniciativas do PCP e da CDU inseridas no combate eleitoral, nomeadamente em Braga, Aveiro, Mirandela e Coimbra; se realizou uma audição sobre as políticas da juventude no quadro da alternativa patriótica e de esquerda com uma significativa participação de jovens; teve lugar o passeio de mulheres CDU – Porto; se concretizou a divulgação de candidatos e apresentação das linhas programáticas do PEV; e se vai realizar na próxima terça-feira, dia 16, a apresentação pública do programa eleitoral do PCP.

Estamos a três meses das eleições para a Assembleia da República. Este é o tempo de apresentar candidatos, de identificar os homens e mulheres que darão corpo a este combate, realizar uma grande campanha de massas, ganhar, pelo contacto directo, mais eleitores a darem-nos o seu apoio e confiança, mobilizar cada um para o voto na CDU como força imprescindível para o avanço que é preciso, para que se impeçam os objectivos de andar para trás.

Mas este é o tempo ainda de identificar problemas velhos por resolver e de encontrar as novas questões que mobilizam as populações, particularmente as jovens gerações, e definir as propostas para lhes dar solução.

Desenvolve-se igualmente a luta de massas que teve significativa expressão na manifestação do passado dia 10 em Lisboa convocada pela CGTP-IN pela revogação das normas gravosas da legislação laboral, contra as propostas de alteração do governo que a agravam e pela valorização do trabalho e dos trabalhadores. Entretanto, continua a desenvolver-se a acção reivindicativa nas empresas, locais de trabalho e sectores por aumentos salariais, contra a desregulação dos horários de trabalho, em defesa da contratação e negociação colectivas, por carreiras e contagem do tempo de serviço, pela melhoria das condições de trabalho.

E, para avançar, é de igual modo condição imprescindível reforçar o PCP, concretizando as diversas linhas de trabalho definidas, com prioridade à campanha de cinco mil contactos com trabalhadores. Importa igualmente dinamizar a preparação da Festa do Avante! com particular atenção à sua divulgação, venda antecipada da EP e construção.

Avançar é preciso, dar mais força à CDU! é uma importante consigna desta batalha eleitoral. Porque sabemos que a CDU tem soluções para os problemas do País, temos confiança que, com o seu reforço, é possível uma vida melhor, num Portugal com futuro.

 


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: