PCP reafirma solidariedade com Cuba e sua revolução socialista
PCP saúda Revolução Cubana por ocasião dos seus 60 anos

CUBA A Revolução Cubana e o seu exemplo de firmeza, dignidade e abnegação são um elemento de esperança e confiança no futuro, um estímulo para a luta libertadora dos trabalhadores e dos povos.

No 60.º aniversário da Revolução Cubana, a 1 de Janeiro, Jerónimo de Sousa, Secretário-geral do Partido Comunista Português, enviou mensagens a Raul Castro, primeiro secretário do Partido Comunista de Cuba (PCC), e a Miguel Diaz-Canel, presidente do Conselho de Estado e de Ministros da República de Cuba. O PCP enviou uma saudação ao PCC.

O PCP considera que «a comemoração dos 60 anos da Revolução Cubana, a valorização das suas conquistas, significado histórico, coerência, perseverança e exemplo é tão mais importante quanto os valores, ideais e projecto comunista se confirmam como fundamentais para travar a violenta ofensiva do imperialismo, defender os direitos, a soberania e a democracia e construir, por diversas vias, a alternativa ao capitalismo em crise».

Ao saudar a Revolução Cubana, o PCP considera que interpreta «o sentimento de todos aqueles que em Portugal se batem pela liberdade, a justiça social e a soberania e independência nacional, valores que guiaram os heróicos combatentes da Sierra Maestra e que persistem na acção e luta do povo cubano e na revolução socialista de que são obreiros».

O PCP reitera «ao povo cubano o compromisso de continuar a combater, na trincheira da verdade e da justiça, as campanhas, ameaças e tentativas de ingerência contra Cuba e a contribuir para o estreitamento dos fortes laços de amizade e solidariedade que unem os nossos dois povos».


«Fraternas felicitações»
a Raul Castro e Diaz-Canel

No 60.º aniversário do triunfo da Revolução Cubana, que se celebra a 1 de Janeiro, Jerónimo de Sousa enviou, em nome do PCP, fraternas e calorosas felicitações aos dirigentes do PCC e de Cuba.

A mensagem a Raul Castro, primeiro secretário do PCC, destaca que «a comemoração dos 60 anos da Revolução Cubana, a valorização das suas conquistas, significado histórico, coerência, perseverança e exemplo é tão mais importante quanto os valores, ideais e projecto comunista se confirmam como fundamentais para travar a violenta ofensiva do imperialismo, defender os direitos, a soberania e a democracia e construir, por diversas vias, a alternativa ao capitalismo em crise».

Ao felicitar Miguel Diaz-Canel, presidente do Conselho de Estado e de Ministros da República de Cuba, Jerónimo de Sousa escreve que interpreta «o sentimento de todos aqueles que em Portugal se batem pela liberdade, a justiça social e a soberania e independência nacionais, valores que guiaram os heróicos combatentes da Sierra Maestra e que persistem na acção e luta do povo cubano e na revolução socialista de que são obreiros». E reitera ao povo cubano «o compromisso de continuar a combater, na trincheira da verdade e da justiça, as campanhas, ameaças e tentativas de ingerência contra Cuba e a contribuir para o estreitamento dos fortes laços de amizade e solidariedade» que unem os dois povos.

«Admiração e solidariedade
da humanidade progressista»

Numa mensagem ao PCC, nos 60 anos da Revolução Cubana, o Comité Central do PCP saúda o povo de Cuba, «obreiro da exaltante tarefa e valioso projecto de afirmação da soberania e independência da sua pátria e de construção de uma sociedade nova, de homens e mulheres livres, liberta da exploração e da opressão capitalista».

A gesta heróica dos revolucionários cubanos «está inscrita na História da Humanidade como um valoroso e audacioso acto de libertação que, nascido e feito processo revolucionário, é continuado hoje, honrando o património histórico da Revolução e a memória dos heróicos combatentes da Sierra Maestra, na acção e luta do Partido Comunista de Cuba e do povo cubano com a construção do socialismo», realça a mensagem.

Escreve o PCP: «60 anos passados, a Revolução Cubana continua a confirmar-se como uma “revolução socialista e democrática dos humildes, com os humildes e para os humildes”, como afirmou o grande revolucionário e estadista Fidel Castro. Uma revolução que, apesar dos ataques, bloqueios e conspirações a que foi e é sujeita, resiste, persiste e avança, mantendo o rumo do socialismo e as suas extraordinárias realizações em domínios como a educação, a saúde ou a cultura. Uma revolução com profundas raízes e participação populares, cuja capacidade de resistência e transformação reside no carácter profundamente democrático do poder popular, nas suas conquistas e no internacionalismo que faz de Cuba credor da admiração e da solidariedade de toda a humanidade progressista».

No momento em que o imperialismo e a reacção reforçam a sua ofensiva agressiva para tentar destruir a viragem de soberania e progresso que nas últimas décadas percorreu a América Latina e as Caraíbas, «a Revolução Cubana constituiu um valioso incentivo de resistência e confiança», considera o PCP. E mais: «Não havendo modelos de revolução, nem vias únicas para a transformação revolucionária da sociedade, é justo afirmar que num tempo em que a luta pela liberdade, a soberania, a democracia, o progresso, a paz e o socialismo se afirma como decisiva para impedir a reedição de algumas das mais negras páginas da História, a Revolução Cubana e o seu exemplo de firmeza, dignidade e abnegação são um poderoso elemento de esperança e confiança no futuro, um estímulo para a luta libertadora dos trabalhadores e dos povos de todo o mundo e para a afirmação do socialismo como a alternativa necessária e possível ao capitalismo em profunda crise».

Ao saudar os comunistas cubanos, e por seu intermédio o povo cubano, o PCP «reafirma a sua profunda e constante solidariedade para com Cuba e a sua revolução socialista, renovando o compromisso de continuar a combater, na trincheira da verdade e da justiça, as campanhas, as ameaças e as tentativas de ingerência, em especial o criminoso bloqueio dos EUA contra Cuba; a defender o direito do povo cubano à livre decisão do seu caminho; e a contribuir para o estreitamento dos laços de amizade e solidariedade que unem o povo português e o povo cubano».

O PCP expressa «confiança na Revolução Cubana e na sua capacidade de enfrentar os mais complexos desafios com notável determinação e coerência», deseja os maiores sucessos à acção e luta do PCC e reitera a «vontade de continuar o aprofundamento das relações de amizade e cooperação» entre os dois partidos.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: