Defender o emprego
O administrador da insolvência da Belas Sul, na Bobadela, Loures, tentou sexta-feira que três dezenas de trabalhadoras aceitassem rescindir os contratos, pressionando-as ilegalmente para assinarem cartas nesse sentido. Apoiadas pelo Sindicato dos Têxteis do Sul, as trabalhadoras recusaram assinar qualquer documento e concentraram-se, segunda-feira, junto às instalações. Acusam o administrador de estar a favorecer os patrões, exigem o pagamento de salários em atraso e a impugnação da venda do imóvel a outra empresa dos mesmos donos. Defendem medidas para a recuperação da empresa, que faz lavagem de roupas hospitalares e de restauração, e estranham que esteja a ser ignorada a comissão de credores, presidida pela Lisboa Gás.
Face à resistência dos trabalhadores, a administração da Faianças Bordalo Pinheiro, nas Caldas da Rainha, começou a pagar salários em atraso e comprometeu-se a apresentar um plano de viabilização, congratulou-se segunda-feira a comissão concelhia do PCP.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: