Litoral Alentejano exige «rapidez na execução» de projectos da ferrovia e rodovia

Os autarcas dos cinco municípios do Litoral Alentejano manifestaram preocupação com os atrasos dos investimentos nas ligações ferroviárias e rodoviárias na região e exigiram ao Governo «rapidez na execução dos projectos».

«A segurança das populações e o desenvolvimento económico dos concelhos não podem ser afectados com estes atrasos», alertou anteontem, 16, a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral (CIMAL), em comunicado. A posição foi assumida pelos presidentes das câmaras municipais (CM) de Alcácer do Sal, Grândola, Odemira, Santiago do Cacém e Sines durante uma reunião com o ministro das Infra-estruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos.

No documento, o presidente da CIMAL e da CM de Alcácer do Sal, Vítor Proença realçou a importância dos «investimentos económicos existentes e dos que estão em curso», mas considerou que «apresentam défices enormes, particularmente no que diz respeito aos acessos rodoviário e ferroviários».

Na reunião, os autarcas pediram «urgência na reparação» do Itinerário Principal (IP) 1 entre Palma e Alcácer do Sal e da Estrada Nacional (EN) 253 entre Comporta e Alcácer do Sal.

Sobre os projectos na ferrovia, reforçou-se a necessidade de ser retomada a ligação ferroviária de passageiros na Linha Lisboa – Funcheira, com paragem em Alcácer do Sal, Grândola, Ermidas e Odemira, encerrada desde 2012.


 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: