1894 – Nasce Jean Rostand

Bacharel em Ciências pela Universidade de Paris, sua terra natal, Jean Rostand dedicou a vida à biologia, e muito em particular ao estudo da origem da vida. Participa, em 1936, na criação da secção de Biologia no Palais de la Découverte, em Paris, e no mesmo ano cria o próprio laboratório onde se dedica ao estudo e investigação científica da partenogénese e a teratogenia dos anfíbios. Autor de inúmeras obras, Rostand foi também um grande divulgador científico, destacando-se na sua bibliografia “Men” (1940), “Pages of a Moralist” (1952), “Wat I Believe” (1953), “Notes of a Biologist” (1954), “Notebooks of a Biologist” (1959) e “Does God Exist?” (1973). Privilegiando a relação entre ciência, ética e política, Rostand reflectiu sobre os impactos morais e políticos das descobertas científicas, o que o levou a envolver-se, a partir dos anos 50 e durante vários anos, na luta contra as armas nucleares, e designadamente contra a «bomba atómica francesa», bem como a militar em defesa de fontes de energia alternativas, como a solar. Pacifista, livre pensador, ateu convicto, foi galardoado com o Prémio UNESCO Kalinga Prize for the Popularizations of Science, em 1960, um ano depois de ter sido eleito membro da Academia Francesa. Morreu em Setembro de 1977.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: