Breves
Região de Setúbal prejudicada

A Associação de Municípios da Região de Setúbal (AMRS) alertou para a «falta de equidade na distribuição dos Fundos Estruturais Europeus» na região de Setúbal. Em nota divulgada no dia 3 de Fevereiro, a AMRS lembra que a Península de Setúbal, ao longo de décadas, tem desempenhado «um papel fundamental no desenvolvimento económico do Pais, e embora tenha capacidade instalada e vontade para incrementar o seu contributo, tem sentido ao longo dos anos, por falta de respostas adequadas quanto à distribuição de Fundos Estruturais, a impossibilidade de fazê-lo».

No âmbito da definição dos «critérios justos» na distribuição dos Fundos Estruturais Europeus, a associação aponta como «linhas essenciais para a reposição da justiça e equidade de tratamento para com as populações e instituições» da Península de Setúbal que, por exemplo, «sejam definidas respostas para a Região de Setúbal no âmbito do actual Quadro Plurianual de Apoio (PT2030) que mitiguem os impactos negativos da actual circunstância».


Projectos para o Seixal

No dia 10 de Fevereiro, a Câmara do Seixal aprovou a construção do novo Jardim de Infância da Quinta de São Nicolau, em Corroios, tendo sido adjudicado pelo valor de 1751 33,26 euros (mais IVA), com um prazo de execução de 365 dias. Aprovou ainda a adjudicação do concurso público para a construção da prmeira fase do Parque Metropolitano da Biodiversidade – Alto da Verdizela, em Corroios, pelo valor de 444 894,38 euros. O prazo de execução da empreitada é de 270 dias.


Vandalismo em Montemor

A Câmara de Montemor-o-Novo manifestou «forte repúdio» pela destruição de equipamentos recentemente colocados no Castelo, no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano. O equipamento foi alvo de um investimento de cerca de 630 mil euros.


Corte da EN254

A Comissão Municipal de Protecção Civil de Vila Viçosa contestou, no dia 4 de Fevereiro, a decisão da Infra-estruturas de Portugal (IP) de cortar o trânsito na Estrada Nacional (EN) 254, entre Vila Viçosa e Bencatel, e interditar o tráfego de pesados no troço da EN255, entre Vila Viçosa e Pardais, sem «alternativas adequadas». A medida implica «graves prejuízos sociais para as populações e económicas para as empresas do concelho e da região», adverte a Protecção Civil.

A decisão da IP, sobre estas estradas, junto a pedreiras situadas no concelho de Vila Viçosa, já provocou protestos e manifestações por parte da população de Bencatel e a contestação do município, dos presidentes das juntas de freguesias de Bencatel e de Pardais e do PCP.


Sobral de Monte Agraço investe no empreendedorismo

No dia 3 de Fevereiro, a Câmara de Sobral de Monte Agraço aprovou o concurso público de 928 mil euros para transformar o antigo posto da GNR em edifício municipal multiserviços. A obra tem um custo de 928 mil euros (350 mil euros financiados por fundos comunitários) e vai decorrer durante um ano. Após a intervenção, o edifício, propriedade municipal, vai dar lugar a um «espaço de apoio ao empreendedorismo, com incubadora de empresas, gabinete de apoio ao empresário e primeira delegação na região Oeste da Confederação das Micro, Pequenas e Médias Empresas», explicou, à Lusa, o presidente da Câmara, José Alberto Quintino.


Évora apoia associações

A Câmara de Évora atribuiu um apoio financeiro a associações juvenis do concelho, beneficiando nove organizações com um total de quase seis mil euros. Segundo o município, estes apoios foram possíveis devido ao «caminho trilhado pela autarquia ao nível da sua consolidação financeira».