O apoio à candidatura de João Ferreira não cessa de se alargar
Domingo é dia de afirmar e defender a Constituição

AVANÇAR As eleições para Presidente da República são já no próximo domingo, 24. A candidatura de João Ferreira é a única que dá garantias de levar a sério o projecto democrático de desenvolvimento inscrito na Constituição da República Portuguesa.

Desde Setembro, quando foi apresentada, a candidatura de João Ferreira disse ao que vinha: a Constituição da República Portuguesa, com os direitos que consagra e o rumo de desenvolvimento a que aponta, é a sua referência e há que levar a sério o juramento presidencial de a defender, cumprir e fazer cumprir. Ao contrário do que outros sugerem, o problema não está na Constituição, mas precisamente no desfasamento entre o que lá está escrito e a prática política de sucessivos governos e presidentes da República – e a candidatura de João Ferreira mostrou-o, uma e outra vez.

Ao longo dos últimos meses, em múltiplas e diversificadas acções, declarações, debates e entrevistas, ficou claro o significado prático, concreto, desta defesa intransigente da Lei Fundamental do País: a necessidade de concretizar no dia-a-dia os direitos ao trabalho e a ter direitos no trabalho; à educação, à saúde, à protecção social, à habitação; à cultura e ao desporto; a um ambiente saudável; à protecção especial dos mais vulneráveis – dos jovens às pessoas com deficiência, dos idosos às mães e pais.

Mas lá está, também, o direito a País soberano, com um projecto de desenvolvimento próprio capaz de assegurar o progresso e a justiça social.

Pela coragem assumida, pela clareza do seu posicionamento e dos seus compromissos e pela confiança que dela emanou, a candidatura de João Ferreira cedo se revelou a única capaz de contribuir para que se abra em Portugal um horizonte de esperança. Por essa razão, agregou apoios oriundos de diferentes sectores políticos e sociais, que não pararam de crescer: só na última semana, João Ferreira recebeu o apoio de mais de 1600 membros de Organizações Representativas dos Trabalhadores, mais de 200 investigadores e docentes do Ensino Superior, 160 advogados e mais de 280 ecologistas.

Até domingo, há ainda muitos contactos a fazer e apoios a somar. Não só nas iniciativas de campanha com o candidato (que esteve ontem em Aveiro, hoje está no Porto Braga e amanhã estará em Lisboa), mas em múltiplas – e por vezes criativas – acções de esclarecimento e mobilização para o voto em João Ferreira. Certo é que na segunda-feira e para lá dela, os activistas e apoiantes da candidatura de João Ferreira continuarão a estar onde sempre estiveram: no exaltante e decisivo combate por um Portugal com futuro, justo, desenvolvido e soberano! Poderão outros dizer o mesmo?





 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: