Maus resultados para Jair Bolsonaro na primeira volta das eleições no Brasil

Os candidatos de extrema-direita apoiados pelo Presidente Jair Bolsonaroobtiveram maus resultados no domingo, 15, na primeira volta das eleições municipais no Brasil.

Quase 148 milhões de cidadãos estavam inscritos nos cadernos eleitorais para escolher prefeitos, vice-prefeitos e vereadores dos 5567 municípios brasileiros. Apesar da epidemia de Covid-19, a abstenção foi apenas de 23,14 por cento dos eleitores.

Os analistas políticos convergem no destaque à derrota de Bolsonaro, indicando que dos 13 candidatos a prefeito apoiados publicamente pelo presidente, só dois conseguiram ser eleitos e outros dois continuam na corrida. Nove dos aliados de Bolsonaro ficaram pelo caminho.

Uma das derrotas mais significativas dos bolsonaristas foi a do candidato à prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, apenas o quarto mais votado, ficando de fora da segunda volta, a 29 de Novembro.

A disputa em São Paulo será entre o actual prefeito, Bruno Covas, do Partido da Social-democracia Brasileira, de direita, que obteve 32,8 por cento dos votos, e Guilherme Boulos, do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), de esquerda, com 20,24 por cento.

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) já anunciou que apoiará Boulos na segunda volta. Em contrapartida, o PSOL manifestou apoio em Porto Alegre à candidata comunista Manuela d’Ávila, que lidera uma aliança entre o PCdoB e o Partido dos Trabalhadores (PT). Manuela vai à segunda volta com 29 por cento dos votos, contra Sebastião Melo, do MDB, com 31 por cento das preferências.

O portal digital Vermelho considera que «as forças progressistas e democráticas são chamadas, agora no segundo turno, a convergirem na construção de amplas alianças visando a vitória de candidaturas que ajudem a aprofundar a derrota do bolsonarismo».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: