Toxicodependência e comportamentos aditivos requerem uma resposta nacional integrada

No dia 10, João Ferreira visitou o Centro das Taipas e encontrou-se, aí, com João Goulão. O tema da conversa, como é evidente, versou sobre as questões da toxicodependência e dos comportamentos aditivos: a situação actual, a evolução recente, as lacunas, o rumo a trilhar.

A intervenção nacional em matéria de toxicodependência é reconhecida internacionalmente, mas o rumo que levou a tal reconhecimento ficou comprometido com a extinção, pelo governo PSD/CDS, do Instituto da Droga e da Toxicodependência. Nos últimos anos, a manutenção e agravamento dos problemas sociais que estão na origem da toxicodependência, alcoolismo e demais comportamentos aditivos, a situação tem vindo a agravar-se, o que obriga à tomada de medidas urgentes – que tardam, apesar das promessas.

O candidato defendeu a imediata reactivação e reforço de um verdadeiro serviço público para as dependências, dotado de autonomia e capaz de uma efectiva coordenação e resposta nacional integrada, e ainda o reforço da rede de prevenção, dissuasão, apoio, tratamento, redução de riscos e danos e reinserção social. De João Goulão, conhecido como o «arquitecto» da política nacional de combate à toxicodependência, recebeu o apoio na sua corrida a Presidente da República.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: