Heloísa Apolónia destacou-se nas mais variadas esferas da vida
Heloísa Apolónia, a mandatária que esteve e está em todas as lutas

REFORÇAR A mandatária nacional da candidatura de João Ferreira a Presidente da República, Heloísa Apolónia, foi apresentada no dia 16, numa sessão pública em Lisboa onde também interveio o candidato.

Com a sala do Hotel Zurique já preenchida de apoiantes, provenientes dos mais variados sectores e localidades, João Ferreira e Heloísa Apolónia entraram na sala, lado a lado. Logo a seguir entraram o Secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, e os membros da Comissão Política e do Secretariado do Comité Central, respectivamente João Frazão e Manuela Pinto Ângelo. Estiveram ainda presentes dirigentes e eleitos do PCP, do Partido Ecologista «Os Verdes» e da Associação Intervenção Democrática.

João Ferreira foi o primeiro a dirigir-se à plateia: «Agradeço e saúdo a vossa presença neste acto público», começou por dizer, dirigindo também uma saudação ao Secretário-geral do PCP, que lá esteve presente, «como desde a primeira hora». «Dirijo uma saudação especial, particularmente fraterna e calorosa, à Heloísa Apolónia, que me deu a honra de aceitar ser mandatária nacional da minha, da vossa, da nossa candidatura», acrescentou.

Um percurso
que fala por si

«Com este convite a uma destacada e reconhecida defensora dos direitos das populações assente numa relação sustentável e harmoniosa com a natureza», reafirma-se o carácter da candidatura de João Ferreira como «aquela que não só não chegou agora a esta e a outras lutas, porque sempre por cá andou», realçou o candidato. Para João Ferreira, Heloísa Apolónia, com a sua intervenção cívica, social e política, destacou-se nas demais esferas da vidas. Na Assembleia da República, como deputada, mas também, mesmo antes disso, na luta contra as alterações climáticas – «muito antes da projecção global que o tema adquiriu» –, pela preservação da biodiversidade e dos recursos naturais, em defesa da água pública, por um correto ordenamento do território e por políticas energéticas sustentáveis. A denúncia de todas as formas de poluição, da erosão costeira, e o combate a um sistema económico que faz prevalecer interesses particulares de curto prazo sobre o bem comum, também estão entre as causas que sempre motivaram a «reconhecida e coerente ecologista».

«Talvez o aspecto mais notório da intervenção da Heloísa, seja, porém, o indispensável enlace que sempre soube estabelecer entre as questões ambientais e as questões sociais», afirmou João Ferreira. Desde a luta pela igualdade, contra todas as discriminações, e da defesa dos serviços públicos, até ao seu envolvimento na luta pela despenalização voluntária da gravidez e pelos direitos das mulheres, a «Heloísa esteve sempre lá».

Da mesma forma como sempre marcou presença na defesa da pequena e média agricultura, do papel da agricultura familiar no mundo rural, da soberania alimentar, da produção nacional e da produção e consumo locais. «Esteve lá quando foi necessário combater modelos de produção insustentáveis, a desregulação do comércio internacional, que ameaça o ambiente, a economia e a sociedade.

Junto das populações
com medidas justas e necessárias

«Ser mandatária é estar no terreno, em contacto com as populações, contribuir para transmitir os valores que definem a candidatura do João Ferreira, e os seus traços distintivos», afirmou, por sua vez, Heloísa Apolónia, para quem ser mandatária «não é apenas assumir a responsabilidade de tratar os seus aspectos processuais e formais». «Serei, portanto, com a maior honra uma voz activa desta candidatura», acrescentou: «a principal razão por que o faço é, não apenas pelo grande apreço e reconhecimento da imensa competência que o João Ferreira tem mostrado nas funções públicas que tem exercido, mas porque o País precisa dele», acrescentou.

Tendo em conta a situação sem precedentes provocada pela COVID-19, para Heloísa Apolónia, agora mais do que nunca, é necessário um Presidente da República que defenda o Serviço Nacional de Saúde, as micro, pequenas e médias empresas, o sector da cultura, que esteja ao lado dos trabalhadores e do povo português.

A ecologista também se dirigiu às mulheres, em geral as maiores vítimas de risco de pobreza, da precariedade laboral, do desemprego e dos baixos salários: «saibam que encontram nesta candidatura de João Ferreira a expressão da solidariedade e da coragem de exigir os direitos mais justos para quem precisa.»

«Portugal precisa da aliança entre a dimensão social e a dimensão ambiental para nortear o rumo político do País, tomando como objectivo a promoção de um desenvolvimento com sustentabilidade», disse ainda Heloísa Apolónia, para quem, João Ferreira, é o único candidato capaz de as juntar.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: