Os passos dados na valorização da ferrovia são ainda insuficientes
Sector ferroviário é vital e requer aposta firme

INVESTIMENTO Numa jornada dedicada à ferrovia, dia 11, João Ferreira viajou na Linha do Oeste e visitou as instalações da EMEF no Entroncamento, reclamando mais investimento para este sector fundamental.

A defesa e valorização da ferrovia nacional, sendo uma reivindicação antiga dos trabalhadores do sector, do movimento sindical unitário e do PCP, teve recentemente novos apoiantes, inclusivamente por parte de alguns sectores e personalidade que tanto contribuíram para a sua destruição.

João Ferreira, pela sua filiação política como pela sua acção prática enquanto deputado no Parlamento Europeu, é dos que sempre viu neste sector um papel indispensável para o desenvolvimento do País, dadas as suas vantagens económicas, sociais, ambientais e territoriais, e agiu coerentemente nesse sentido. Ora, esta não foi a primeira visita do candidato àquelas oficinas da EMEF, mas desta vez havia uma significativa diferença a registar: a reintegração da empresa na CP, consumada no início deste ano – uma «importante medida» que, segundo João Ferreira, não esconde o «muito que falta fazer para reverter o caminho de destruição da ferrovia nacional».

Falta, agora, reconstruir a capacidade da empresa, garantir condições de trabalho e carreiras dignas e assegurar a contratação dos trabalhadores em falta, com vínculos efectivos à empresa. Para o candidato, é também necessário uma aposta séria na capacidade produtiva nacional de material circulante ferroviário, posta em causa com a privatização e consequente encerramento da Sorefame.

Modernizar a Linha do Oeste

Antes, João Ferreira viajara na Linha do Oeste, percorrendo o trajecto que liga o Bombarral às Caldas da Rainha, onde contactou com utentes e activistas do movimento em defesa dessa linha. Também neste caso, não foi a primeira visita do candidato ao local: há dois anos, ficou ali apeado porque o comboio em que era suposto viajar foi suprimido, uma realidade que os utentes desta região, infelizmente, conhecem demasiado bem.

Reafirmando, na ocasião, que a recuperação, modernização e valorização deste eixo ferroviário são passos fundamentais para assegurar a mobilidade das populações, o desenvolvimento económico da região e do País e a defesa do ambiente, João Ferreira saudou os passos recentes no sentido da modernização e electrificação da Linha do Oeste. Para lá de representarem uma importante conquista das populações, são sobretudo o resultado da sua luta, que terá de prosseguir, realçou.

Terra de resistência

O dia terminou com uma sessão pública no Couço, particularmente emotiva tanto para o candidato como para todos os presentes, ou não se estivesse na terra cujo povo escreveu algumas das mais gloriosas páginas da luta contra o fascismo e pela liberdade. Aí, onde a Reforma Agrária teve importante expressão, João Ferreira dedicou parte da sua intervenção ao tema da agricultura, referindo-se a um país que não só produz menos do que podia e devia como distribui injustamente o que é produzido. Também nesta matéria se exigia uma intervenção decidida e inequívoca do Presidente da República.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: