Enfermeiros interpelam primeiro-ministro

Para «o efectivo reconhecimento do trabalho dos enfermeiros», foi exigida, na manhã de sexta-feira, dia 9, junto à residência oficial do primeiro-ministro, que o Governo «adopte as necessárias medidas de solução», para responder a problemas e melhorar as condições de exercício da profissão.

Na concentração promovida pelo Sindicato dos Enfermeiros Portugueses – e à qual o deputado João Dias levou a solidariedade do PCP –, foi aprovada uma resolução, endereçada ao chefe do Governo, reivindicando: «a justa e legal contagem de pontos, para progressão a todos os enfermeiros»; «a compensação do risco e penosidade, nomeadamente, através de condições especiais para aposentação e nas regras de organização do trabalho»; «pagamento da “última tranche” (25%) do descongelamento, em Dezembro de 2019, aos enfermeiros que transitaram para categoria diferente da actual carreira»; «correcção das injustiças decorrentes da actual carreira» profissional; «admissão de mais enfermeiros e estabelecimento de contratos de trabalho por tempo indeterminado aos detentores de contrato de trabalho a termo»; e que, na avaliação de desempenho, seja atribuída a qualificação de «relevante» a todos os enfermeiros no biénio 2019-2020.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: