Vitória no Hospital de Braga

«Irá finalmente ser reposta e garantida a igualdade salarial e laboral a todos os trabalhadores, com a assinatura dos acordos colectivos de trabalho com as estruturas sindicais», salientou a Direcção da Organização Regional de Braga do PCP, numa nota de imprensa de dia 8, a saudar esta «vitória dos trabalhadores do Hospital de Braga», «depois de vários meses de luta».

Nessa quinta-feira, a administração do hospital formalizou a adesão aos instrumentos de regulamentação colectiva de trabalho.

O resultado foi também muito valorizado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Norte, que a 21 de Setembro tinha promovido uma greve contra as discriminações que afectavam cerca de 800 trabalhadores das carreiras gerais (assistentes operacionais, assistentes técnicos e técnicos superiores), com salários mais baixos e horários mais longos do que os restantes.

«A injustiça que agora termina era ainda lastro da antiga PPP», a parceira público-privada que entregou a gestão do hospital ao Grupo José de Mello, refere a DOR Braga, assinalado que o regresso à esfera pública, desde 1 de Setembro de 2019, «graças às exigências de utentes e trabalhadores», tem «resultados positivos já comprovados».

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, num comunicado de dia 9, criticou o atraso que significou «14 meses de prejuízo» para 168 profissionais, garantindo que vai exigir o pagamento de retroactivos.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: