Estas eleições não são para eleger o presidente do Governo Regional
CDU apresenta programa eleitoral que faz a diferença nos Açores

REGIONAIS No arranque da campanha para as eleições legislativas dos Açores, que se realizam a 25 de Outubro, o Secretário-geral do PCP esteve nas ilhas de São Miguel, Terceira e Faial. A CDU quer eleger mais deputados e constituir um grupo parlamentar para defender os direitos dos trabalhadores e do povo açoriano.

O périplo iniciou-se, sábado, na ilha de São Miguel, com uma sessão pública no Centro Cultural e Cívico de Santa Clara, em Ponta Delgada, onde foi apresentado o Programa Eleitoral da CDU para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.

Como salientou Jerónimo de Sousa, este é «um programa que vale pela diferença», de uma força que «honra os compromissos assumidos, que respeita a palavra dada, que não promete hoje uma coisa e faz outra amanhã» e «conta sempre para, com a sua intervenção, defender direitos, valorizar salários, alargar a protecção social, melhorar as condições de vida dos açorianos e açorianas». A proposta do aumento geral dos salários e do salário mínimo nacional para 850 euros é disso um bom exemplo, a par da necessidade de investimento na produção regional e do controlo público de sectores e empresas estratégicos.

«Bem se pode dizer com inteira justiça que também aqui nos Açores o que ao longo de anos se consagrou de avanço e benefício para o povo açoriano tem a acção directa da CDU, seja na instituição da remuneração complementar, seja no acréscimo ao valor da reforma, seja no acréscimo ao salário mínimo regional», destacou o Secretário-geral do PCP.

Nesta legislatura, com apenas um deputado, foi a intervenção da CDU que garantiu a valorização do aumento do abono de família; alcançou o aumento de 12 por cento da remuneração complementar; fixou no Orçamento Regional a inscrição de contratação de trabalhadores para as escolas; inscreveu o objectivo da gratuitidade dos manuais escolares.

Campanha de esclarecimento
Sobre a campanha eleitoral, Jerónimo de Sousa sublinhou que os próximos dias são decisivos para o esclarecimento sobre a «importância do voto na CDU» e o «verdadeiro objectivo destas eleições, desfazendo a mentira sobre uma falsa eleição para presidente do Governo Regional, que, como se sabe, não existe». «Estas eleições são para eleger deputados. Quando mais deputados a CDU eleger melhor defendidos estarão os direitos dos trabalhadores e do povo. Quantos mais deputados a CDU eleger mais longe ficará a ambição do PS de ter maioria absoluta», reclamou o dirigente comunista.

Também Marco Varela, Coordenador Regional do PCP, considerou ser «essencial derrubar a maioria absoluta» do PS na Região, sendo a escolha entre «a continuidade do poder absoluto e a democracia, que só floresce num quadro parlamentar» diverso.

Relativamente ao programa eleitoral ali apresentado, o também candidato aos círculos eleitorais do Corvo e de Compensação frisou ser «um manifesto que é diferente e único» porque «tem atrás de sim a garantia do cumprimento que assumimos perante os açorianos».

Voto contra absolutismos
O Secretário-geral do Partido participou ainda, no sábado, num jantar-convívio em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira. A poucas horas do arranque oficial da campanha eleitoral, voltou a insistir que as «manifestações de simpatia» em torno da candidatura da CDU não bastam para retirar a maioria absoluta ao PS. «Que ninguém falte no dia 25 de Outubro, para bem das vossas vidas, para bem da região», apelou.

Domingo, na cidade da Horta, Faial, Jerónimo de Sousa reforçou a ideia de que «cada deputado a mais» eleito pela CDU «é um deputado a menos na mão dos que tudo prometem nas eleições mas logo esquecem quando os votos são contados». «Queiram os trabalhadores e o povo açoriano dar-nos a força necessária para concretizar» o projecto da CDU «e seguramente teremos uma região com mais justiça social», concluiu.

Por seu lado, Marco Varela salientou que a CDU está empenhada em «reforçar os transportes» no Faial, Pico e São Jorge, e criar um passe intermodal entre estas ilhas. Reiterou ainda a necessidade de investir na «produção e valorização dos produtos regionais».

Nas eleições regionais açorianas existe um círculo por cada uma das nove ilhas (São Miguel, Terceira, Faial, Pico, São Jorge, Graciosa, Santa Maria, Flores e Corvo) e um círculo regional de compensação, reunindo os votos que não foram aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha. A CDU concorre por todos os círculos.

Acções na ilha do Faial

Na segunda-feira, 12, Marco Varela, Coordenador Regional do Partido, e Paula Decq Mota, cabeça de lista da CDU pela ilha do Faial, estiveram em contacto com a população da cidade da Horta.

À Lusa, Marco Varela – também candidato pelos círculos de Compensação e do Corvo – destacou a necessidade de se fazer «um investimento que potencie o porto e a cidade da Horta», tendo recordado que o PCP apresentou recentemente, em sede de Plano e Orçamento, a proposta de comprar um «travel lift» (uma grua para embarcações), que «permitisse varar um conjunto de actos durante o Inverno». Outra das ideias avançadas é a necessidade de aquisição de um novo navio de investigação para substituir a embarcação «Arquipélago».

12 razões para dar mais força à CDU

# Elaboração de um Plano de Combate à Precariedade; apoio às micro, pequenas e médias empresas, na perspectiva da criação de emprego sustentável e com direitos;
# Valorização salarial, defesa dos direitos laborais e aumento do Acréscimo Regional ao Salário Mínimo Nacional, de 5 para 7,5 por cento;
# Combate à pobreza e à exclusão social: aumento do complemento regional de pensões, abono de família e a redução da taxa mais alta do IVA;
# Creches gratuitas e aumento da rede pública de creches;
# Incentivos à fixação de jovens em todas as ilhas e nos centros históricos das cidades;
# Melhores transportes públicos – terrestres, marítimos e aéreos – numa perspectiva de mobilidade integrada. Diminuição dos preços das passagens e criação de passes sociais;
# Valorização da produção regional (Agricultura, Pescas e Indústria transformadora);
# Reforço e defesa dos serviços públicos, em particular do Serviço Regional de Saúde e da Educação, com mais meios humanos e recursos materiais;
# Reforço do Sector Publico Empresarial Regional (SATA, EDA, Santa Catarina e SINAGA);
# Defesa do meio ambiente;
# Uma política de valorização da Cultura e da Ciência e Tecnologia;
# Desenvolvimento harmonioso e equilibrado das nove ilhas do arquipélago dos Açores.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: