Marxismo-leninismo: actual e desafiante

Dos aspectos levados à discussão, que reavivou e fez conhecer a obra de Lénine, genial continuador e divulgador de Marx e de Engels, salienta-se a sua vasta contribuição bem presente em toda a experiência de vida do PCP. Este legado, expresso na capacidade de o Partido ser de novo tipo, confirma a tese leninista ao continuar a atrair gerações de jovens, apesar dos ataques e da manipulação feitos à Revolução de Outubro que, conduzida por Lénine, é marco único na história da Humanidade.

O debate «A actualidade do pensamento de Lénine», integrado na celebração dos 150 anos do seu nascimento, foi desenvolvido por Jaime Toga e João Frazão (da Comissão Política do CC), Luísa Araújo (do Secretariado do CC) e Albano Nunes (da Comissão Central de Controlo e director de O Militante).

Num tempo em que o capitalismo usurpa todos os meios que não o desmistificam e, anunciando-se como sistema natural, gera falsas soluções para os problemas actuais fabricando produtos e tecnologias verdes de lucro imediato, foi reflectido quem detém o controle da natureza. A propriedade – questão fundamental introduzida por Engels – faz pender o usufruto da natureza para o capitalismo e não para os trabalhadores e revela outra abissal contradição entre o tempo da natureza e o tempo do capital, mostrando que a luta pelos recursos naturais e natureza é actual e determinante.

«No segundo centenário de Friedrich Engels – A luta ambiental e a luta de classes» intervieram Vladimiro Vale (da Comissão Política do CC), Ana Valente (do CC), Sandra Pereira (deputada no PE), Miguel Tiago (da Comissão junto do CC para os assuntos económicos) e Simão Calixto (da Direcção Nacional da JCP).




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: