Lei que beneficia pensionistas no Chile é vitória das forças democráticas

Representou uma pesada derrota para o governo de direita do presidente Sebastián Piñera a aprovação no Congresso chileno de legislação a favor dos beneficiários de pensões de velhice, invalidez ou sobrevivência.

Com apoio de mais de dois terços da Câmara de Deputados, a lei prevê que os pensionistas possam levantar até 10 por cento das suas poupanças depositadas nas Seguradoras de Fundos de Pensões, um mecanismo privado símbolo do modelo neoliberal chileno.

Várias forças democráticas, entre elas comunistas e socialistas, instaram Piñera a promulgar a legislação quanto antes – o que aconteceu no dia 24 – para responder com rapidez às necessidades de milhões de chilenos golpeados pela crise sanitária, económica e social.

A deputada comunista Karol Cariola assegurou que «no Chile há fome, desespero, angústia e dor naquelas pessoas que tiveram de recorrer à solidariedade para poder sustentar-se».

O presidente do Partido Comunista do Chile, Guillermo Teillier, destacou a derrota ideológica e política do governo, que é o responsável pela «situação gravíssima que as pessoas estão a viver».

O deputado Raúl Soto, do Partido pela Democracia, assinalou que a votação é um triunfo do povo do Chile e exigiu uma mudança do «modelo injusto» de pensões. Na mesma linha, a deputada Catalina Pérez, da Revolução Democrática, realçou que é preciso «avançar para um novo sistema de segurança social».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: