Breves
Penosidade e risco

O STAL/CGTP-IN condenou «o comportamento hipócrita do grupo parlamentar do Partido Socialista e do Governo» e assegurou que «recorrerá a todos os meios e formas de luta ao seu alcance, para exigir a urgente regulamentação das compensações previstas na lei por prestação de trabalho insalubre, penoso e com risco para a saúde e a própria vida».
O sindicato reagiu na segunda-feira, dia 27, à reprovação na AR dos projectos de lei (incluindo dois do PCP) que pretendiam corresponder ao exigido numa petição, que recolheu mais de 15 mil assinaturas. Os deputados do PS «mais uma vez, recusaram concretizar o direito a suplementos e outras compensações, previsto na lei desde 1989», protestou o sindicato, notando que «o PS não só não apresentou qualquer projecto de lei, como foi mesmo o único partido a votar contra os diplomas em debate, apoiando-se na cumplicidade dos representantes do PSD, CDS e Iniciativa Liberal, que se abstiveram».


Compromisso da EDP

O desmantelamento da central termoeléctrica de Sines deverá ser feito num prazo de cinco anos, a partir do encerramento, em Janeiro de 2021, pelo que uma parte dos trabalhadores continuará a ser necessária.
Para minorar os prejuízos dos trabalhadores, incluindo os dos empreiteiros, a EDP está a preparar medidas como pré-reformas e requalificação profissional. A informação foi divulgada pela Fiequimetal/CGTP-IN, no dia 18, após uma reunião com a administração.


SMP teve de recuar

Com a sua unidade e organização, em torno do SITE Sul, e com a determinação colocada na marcação de uma luta, os trabalhadores da Samvardhana Motherson Peguform, no parque industrial da VW Autoeuropa, em Palmela, levaram administração a recuar na aplicação do lay-off e a cumprir o «Acordo na Empresa», com ganhos pecuniários e o fim do «banco» de horas.
No comunicado que o sindicato da Fiequimetal/CGTP-IN divulgou dia 9, refere-se um prémio anual (mínimo de 390 euros) e compensações pelos dias de lay-off.