Incêndio no Algarve alerta para outra política

«Ao mesmo tempo que saúda a rápida resposta dada pelos bombeiros e restantes entidades de protecção civil», o PCP «chama uma vez mais a atenção para as causas profundas e estruturais que estão na origem da frequente ocorrência de fogos florestais na região», salientou o Secretariado da Direcção da Organização Regional do Algarve (DORAL) no rescaldo dos fogos que atingiram, no final da semana passada, os concelhos de Aljezur, Vila do Bispo e Lagos.

Para o Partido, o primeiro grande incêndio florestal de 2020, «independentemente das condições climatéricas propícias», confirma que «é na desvalorização da actividade produtiva e da agricultura familiar, na insuficiência de medidas de reforço da prevenção estrutural de incêndios, no ataque às funções sociais do Estado, no encerramento e desvalorização de serviços públicos e que têm como consequência a desertificação e abandono do território, que encontramos a razão principal deste tipo de fenómenos». Pelo que reitera a exigência de «outra política agro-florestal» e «um efectivo desenvolvimento regional com investimento público».



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: