- Edição Nº2425  -  21-5-2020

JCP contacta com jovens trabalhadores

A JCP está a realizar acções de contacto com os jovens trabalhadores, aprofundando o conhecimento sobre os problemas com que se deparam nas empresas e locais de trabalho, numa altura em que se avolumam os atropelos aos direitos dos trabalhadores.

No dia 11 de Maio, Sandra Pereira, deputada do PCP no Parlamento Europeu, acompanhou as iniciativas dinamizadas no distrito de Lisboa.

Nas acções ficou «visível a instabilidade que a precariedade em empresas como a Codan, em Odivelas, e o Auchan das Amoreiras, em Lisboa, provoca na vida dos trabalhadores. Em ambos os casos, os contractos temporários são uma realidade para grande parte dos trabalhadores que têm a vida a prazo, constantemente com vínculos de seis meses e sem saber o futuro», salientou a JCP.

Insurgindo-se contra o despedimento de milhares de trabalhadores, a pretexto do surto epidémico, Sandra Pereira referiu que no combate ao vírus «é preciso garantir que são cumpridos os direitos dos trabalhadores e que lhes são asseguradas as condições de higiene e segurança no trabalho». Junto ao Call-Center Altice, a deputada denunciou o comportamento daquela empresa face aos seus trabalhadores, maioritariamente subcontratados à Randstad (trabalho temporário). Recentemente, estes trabalhadores entraram em lay-off, com a empresa – que todos os anos lucra milhões de euros – a justificar-se com a diminuição do volume de trabalho, passando os custos da crise para os trabalhadores e a Segurança Social.