Retoma imediata das negociações

«As medidas que aos trabalhadores da Administração Pública dizem respeito não podem ser impostas e dadas a conhecer pela comunicação social», protestou a Frente Comum de Sindicatos, reclamando «total respeito pela lei, que obriga a negociação e auscultação».

Num comunicado de dia 7, a Frente Comum exigiu a retoma «de imediato» das reuniões do Governo com as estruturas sindicais, que «nunca deveriam ter sido suspensas». Se assim não suceder, «o Governo terá de assumir que a sua estratégia é desrespeitar a lei e os trabalhadores, ao afastar os sindicatos da necessárias negociações sobre as medidas a tomar para resolver os problemas colocados ao País».

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: