JCP evoca Vitória com mural em Lisboa

A JCP assinalou o 75.º aniversário da da Vitória sobre o nazi-fascismo com a pintura de um mural, no centro da cidade de Lisboa, com o lema Em defesa da paz e da verdade. A evocação dos jovens comunistas constou ainda da distribuição, em vários pontos do País, de um documento relativo à data, no qual se recorda alguns factos e números reveladores sobre a natureza do nazi-fascismo e quem deu o mais significativo contributo para a sua derrota.

Os jovens comunistas lembram, desde logo, que «o Exército Vermelho foi responsável por 90% dos soldados alemães mortos na II Guerra Mundial» e que «74% das tropas alemãs combatiam na frente de Leste», precisamente contra a União Soviética (esse número chegou a ser de 92% antes da abertura da segunda frente). Recordam também que havia 12 milhões de escravos colocados pela Alemanha nazi ao serviço das grandes empresas (alemãs e não só) que sustentaram, financiaram e beneficiaram da guerra e do nazi-fascismo. Quanto à apregoada neutralidade do fascismo português, a JCP recorda que três quartos das conservas produzidas no País eram enviadas para a Alemanha nazi, enquanto o povo português sofria com o racionamento e carências de vária ordem.

A Vitória sobre o nazi-fascismo não é, porém, uma mera questão de memória histórica, mas um acontecimento cujos ensinamentos se projectam no presente e no futuro. No folheto distribuído pela JCP destaca-se que «hoje assistimos ao aumento da agressividade do imperialismo, apostando cada vez mais no fascismo e na guerra como

«saída» para o aprofundamento da crise do sistema capitalista». O seu carácter desumado torna-se «particularmente evidente quando, mesmo perante o gravíssimo surto epidémico da COVID-19, o imperialismo, os EUA, a NATO, a UE e os seus aliados prosseguem uma criminosa política de bloqueios» – como sucede hoje contra Cuba, Venezuela ou Irão – e agressões contra países e povos soberanos. A recente tentativa de desembarque de mercenários na Venezuela é disto exemplo, garantem os jovens comunistas.

A JCP está determinada em defender a paz e a verdade, realçando o contributo dos comunistas e de todos os antifascistas para a derrota do nazi-fascismo, como forma de dar combate às diversas manobras de falsificação da história, das quais a juventude é um dos principais alvos.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: