O reforço do Partido nas empresas é prioridade central
Mais força nas empresas para organizar e lutar

PCP O colectivo partidário concluiu com êxito, no final de Março, a acção de 5000 contactos com trabalhadores: o Partido conta agora com um conhecimento mais amplo da situação nas diferentes empresas e locais de trabalho e tem, aí, mais militantes e uma mais forte organização.

Comecemos pelos números: 5074 contactos concretizados e 1350 novos militantes recrutados. É este o saldo numérico desta acção, integrada no reforço mais geral da organização, intervenção e influência do Partido, decidida pelo XX Congresso e concretizada na resolução do Comité Central Sobre o reforço do Partido. Por um Partido mais forte e influente, de Janeiro de 2018.

Era aí que, no ponto sobre organização e intervenção nas empresas e locais de trabalho, se apontava a realização de cinco mil contactos com trabalhadores para lhes dar a conhecer as «razões pelas quais devem aderir e reforçar o PCP». Como é evidente, a prioridade deveria ser dada aos que, nas empresas e locais de trabalho, mais se destacam na defesa dos trabalhadores, desde logo os membros das suas organizações representativas.

A concretização com êxito desta acção exigiu muita organização, determinação e capacidade realizadora, só ao alcance do colectivo partidário comunista: houve que definir os trabalhadores a contactar (região a região, concelho a concelho, sector a sector, empresa a empresa…), decidir quem realizaria cada um dos contactos e, por fim, concretizá-los, numa multiplicidade de conversas que se prolongaram por meses. E tudo isto ao mesmo tempo que muitos outros desafios e combates continuavam a requerer, e de que maneira, a intervenção do Partido.

Natureza, presente e futuro

A presença e intervenção junto dos trabalhadores é uma questão decisiva para o PCP, que se define estatutariamente – e na sua intervenção quotidiana desde há quase um século – como «partido político do proletariado, o partido da classe operária e de todos os trabalhadores». Num momento em que, a propósito do surto epidémico de COVID-19, se multiplicam os despedimentos e as violações aos direitos dos trabalhadores, torna-se ainda mais claro a importância de uma forte organização e intervenção do Partido do Partido nas empresa e locais de trabalho.

Finalizada a acção, o Partido tem mais militantes nas empresas, ficando assim mais capacitado para cumprir o seu papel junto dos trabalhadores, contribuindo decisivamente para os esclarecer, organizar e mobilizar, promovendo a sua unidade e luta.

Mas para além do que já hoje representa no reforço concreto da organização e intervenção do Partido, as potencialidades desta acção estão longe de estarem esgotadas, desde logo porque muitos trabalhadores contactados que, não tendo para já aderido ao PCP, não só aceitaram trabalhar com os comunistas como admitem, alguns, poderem vir a filiar-se no Partido no futuro.

No momento em que, a propósito das comemorações do centenário do Partido, está lançado o desafio de constituir uma centena de células e de responsabilizar outros tantos quadros por acompanhar as organizações partidárias em sectores, empresas e locais de trabalho, o muito que se alcançou na acção dos 5000 contactos assume uma enorme importância.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: