STAL exige subsídio de risco

 

Um dossier foi entregue ao PR no Juncal

 

A regulamentação e aplicação do suplemento de insalubridade, penosidade e risco na Administração Local, reivindicação antiga, tem «justeza e necessidade, há muito inegáveis», que «adquirem especial acuidade no actual contexto».

Num comunicado, de 26 de Março, o STAL/CGTP-IN chamou a atenção para as condições de trabalho na recolha de lixo, higiene urbana e serviços de água e saneamento, «hoje particularmente agravadas pelo perigo de contágio». O sindicato exigiu que «durante o período de emergência nacional, o Governo reconheça as condições de risco» e «determine a atribuição de um subsídio, de valor equivalente a 20 por cento da remuneração-base (como previsto no DL 53-A/98), a todos os trabalhadores» nesta situação.

No dia 28, uma delegação do STAL entregou um dossier sobre esta reivindicação ao Presidente da República, que visitou as instalações dos SIMAR de Loures e Odivelas, no Juncal. «É uma evidência e uma justiça, têm toda a razão, tem de ser agora a apresentação de uma proposta», reconheceu o PR, citado numa notícia publicada pelo sindicato.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: