2014 – Explicado enigma das pedras andantes

No lago seco de Racetrack Playa, no Parque Nacional do Vale da Morte, na Califórnia, EUA, rochas de grandes dimensões movem-se, sem intervenção humana ou animal, deixando marcado no chão o seu percurso. Os rastos podem ter várias dezenas de metros, 10 a 30 cm de largura e menos de 2 cm de profundidade. A primeira tentativa de explicação do mistério data de 1948 e atribuía o movimento das pedras a rajadas ou turbilhões de vento, mas não convenceu a comunidade científica: não explicava por que motivo o fenómeno geológico não se verificava noutras regiões expostas a ventos violentos. A resolução do enigma só começa a ganhar forma em 2011, quando é publicado um estudo admitindo que o movimento das rochas ocorre quando camadas de gelo com alguns milímetros de espessura se formam à volta das pedras, flutuando durante o Inverno no lago efémero que então se forma, e descongelando quando o tempo aquece. Esses finos blocos flutuantes de gelo são transportados pelo vento e empurram as rochas, que «andam». A hipótese foi validada em 2014, quando uma equipa composta por Richard Norris (biólogo), Jim Norris (engenheiro) e Ralph Lorenz conseguiu filmar as pedras em movimento. Nada de sobrenatural; apenas uma curiosa combinação de água, gelo, sol e vento.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: