Maternidades de Coimbra a precisar de intervenção

O PCP inquiriu o Governo sobre a situação nas duas maternidades de Coimbra, quer ao nível de infra-estruturas quer de recursos humanos, qualquer delas a carecer de uma «intervenção urgente».

Esta diligência da bancada comunista, formalizada em requerimento dirigido à ministra da Saúde, surge na sequência da recente visita de uma delegação do PCP às maternidades Bissaya Barreto e Daniel de Matos onde «pôde constatar o empenho dos profissionais de saúde em manter um serviço de qualidade, apesar das dificuldades que resultam de problemas de natureza estrutural dos edifícios, do envelhecimento e falta de profissionais».

Daí quererem saber se existe um plano «para atender as necessidades urgentes, nomeadamente, obras que separem o ambulatório do internamento no piso 1, a implementação de um segundo elevador de apoio e a construção de escadas de emergência na Maternidade Bissaya Barreto».

No requerimento, os deputados Paula Santos, Ana Mesquita e João Dias indagam sobre a avaliação do Governo quanto ao «quadro de pessoal dos serviços» e quanto às medidas que «estão previstas para atender às necessidades» e data do seu incremento.

As duas maternidades realizam aproximadamente 2 500 partos e cerca de 18 mil consultas por ano.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: