Breves
OVAR
Requalificação do Bairro do SAAL tem de avançar

As obras de reabilitação do bairro do SAAL em Cortegaça, no concelho de Ovar, tiveram o seu arranque simbólico a 29 de Dezembro, após vários anos de promessas não concretizadas. Dois dias antes, a 27, na sequência de uma visita de uma delegação do PCP, a Comissão Concelhia emitiu um comunicado no qual sublinha as condições deploráveis em que se encontram muitas das habitações e realça o papel dos comunistas e seus aliados neste desfecho: em 2015, o PCP apresentou na Assembleia Municipal uma moção comprometendo os órgãos autárquicos a avançarem para a requalificação do bairro, que foi aprovada por unanimidade. Apesar dos avanços verificados no processo, o PCP «anseia» pelo início efectivo das obras e, sobretudo, pela «entrega da chave aos residentes», a quem apela a que se mantenham vigilantes, não permitindo «que a requalificação se prolongue por tempo indefinido e que a qualidade de construção não assegure as melhores condições de habitabilidade».


Reestruturação do Politécnico ao serviço de interesses externos


O PCP considera que a reestruturação do Instituto Politécnico de Castelo Branco foi decidida «sem o necessário envolvimento dos órgãos académicos» por um Conselho Geral constituído por um «número elevado de elementos externos». Numa nota do Executivo da Direcção da Organização Regional de Castelo Branco, o Partido critica a «evidente primazia dada aos privados no governo das instituições, em detrimento da gestão democrática constitucionalmente prevista». Verifica-se ainda, acrescenta, uma «subjugação e condicionamento da liberdade científica, pedagógica e da verdadeira autonomia a interesses alheios às instituições, sendo também de sublinhar a falta de participação e a ausência de gestão democráticas exigidas pela Constituição, envolvendo docentes, estudantes e funcionários». Para o PCP, trata-se de uma «reestruturação ad hoc, que parece “baralhar para dar de novo”», não garantindo qualquer benefício para a instituição, a comunidade educativa e a região.


BARCELOS
Hospital estava previsto mas obra não foi lançada

Num comunicado recente da Comissão Concelhia de Barcelos, o PCP considera a não construção do novo Hospital público no concelho «um dos mais claros exemplos de falta de investimento público no distrito de Braga». No Orçamento do Estado de 2019 foi incluída uma verba para a construção do novo Hospital, mas os procedimentos para a sua construção ainda não arrancaram. Em 2018 foi aprovado na Assembleia da República um Projecto de Resolução do PCP que apontava para a construção do equipamento. Entretanto, um grupo privado de Saúde vai abrir em breve um novo hospital em Barcelos.