Aconteu
«A Cicatriz de Belém»

A nova obra do artista britânico conhecido como Bansky foi dada a conhecer na passada semana e intitula-se «A Cicatriz de Belém». O trabalho consiste num presépio exposto à porta do hotel «Walled-Off» na cidade palestiniana da Cisjordânia, no qual está também visível um muro perfurado por um obus.

O artista, Banksy, tornou-se irreverente após a realização de muitos dos seus trabalhos que se caracterizam por pinturas de rua, ou grafitos, espalhados pelo mundo com várias temáticas de contestação social.

A perfuração do obus no muro apresenta a forma de uma estrela, que é rodeada pela personagens habituais do presépio – a Virgem Maria, José, o menino Jesus e os animais. O muro com «A cicatriz de Belém» faz uma referência clara à barreira que começou a ser construída em 2002 pelo estado de Israel.

O director do hotel aberto pelo artista em 2017, Wissam Salsaa, referiu que o «muro simboliza a vergonha por todos os que apoiam o que se passa na nossa terra, todos os que apoiam a ocupação ilegal da Cisjordânia por Israel desde 1967».

 


Harry Pombo Villegas, revolucionário e guerrilheiro cubano

Harry Antonio Villegas Tamayo, também conhecido pela alcunha de Pombo, faleceu com 79 anos, no passado domingo, dia 29, depois da paragem e disfunção de vários órgãos. Harry Pombo Villegas foi um militar que se dedicou desde cedo à revolução cubana, tendo estado às ordens e lutado lado-a-lado com Ernesto Che Guevara na revolução cubana, na Argentina, na República Democrática do Congo e na Bolívia. Neste último teatro de combate, foi um dos cinco homens que conseguiram escapar vivos do cerco militar feito ao grupo guerrilheiro do qual fazia parte.

A sua entrega à revolução cubana e o seu empenho nas Forças Armadas Revolucionárias de Cuba levou-o a alcançar o grau de General de Brigada e a condecoração de Héroe de la Revolución.


Permanece a memória do comandante Vieira Nunes

António Vieira Nunes faleceu no dia 24 de Dezembro, aos 87 anos.
Comandante da Marinha portuguesa, permanece na história nacional como um dos que se entregou à realização do 25 de Abril e à luta pela liberdade e a democracia.
Após e mesmo antes do 25 de Abril e do processo de democratização portuguesa, o comandante Vieira Nunes permaneceu sempre preocupado com o desenrolar da vida política e social no País e no mundo.
Convictamente fiel aos ideais e valores da Revolução de Abril, foi sócio fundador da Associação 25 de Abril e e da Associação Conquistas da Revolução, tendo pertencido aos seus órgãos sociais.
Os que com ele conviveram ficam com o seu legado de militante empenhamento.


Faleceu Peter Schreier, tenor e maestro da RDA

Peter Schreier, famoso tenor e maestro alemão, morreu na passada quarta-feira em Dresden, aos 84 anos, após doença prolongada.

O artista nascido em 1935, que mais tarde ficaria também famoso pela sua carreira como maestro, iniciou a sua carreira como cantor mesmo no ensino básico. Mas foi só em 1959 que se afirmaria como excelente tenor com a sua participação na ópera Fidelio, de Beethoven, na qual encarnaria a personagem do «prisioneiro número um».

Depois da fama alcançada com o papel de Belmonte na ópera O Rapto do Serralho, de Mozart, passou a ser presença regular em vários palcos europeus. Em 2005 embarca na profissão de maestro na Filarmónica de Viena e na orquestra Filarmónica de Nova Iorque.

Peter Schreier permanece como um dos grandes artistas da República Democrata Alemã, com projecção a nível internacional.

 



Resumo da Semana
Frases