Por uma nova maternidade em Coimbra

O projecto de resolução do PCP que recomendava a construção de uma nova maternidade em Coimbra junto ao Hospital Geral dos Covões, que abarcasse o número de partos das actuais maternidades, foi chumbado na AR pelos votos de PS e Iniciativa Liberal (IL), com abstenção de PSD, CDS e Chega, e os votos favoráveis das restantes bancadas.

A «asfixia de meios materiais e humanos» existentes nas maternidades Daniel de Matos e Bissaya Barreto foi apontada pela deputada Ana Mesquita como um problema que tem vindo continuamente a agravar-se, havendo situações «urgentes que carecem de solução imediata». É o caso, referiu, da «carência de profissionais de saúde», bem como da «sangria de valências» a que as actuais duas unidades de saúde foram sujeitas.

Assim, para o PCP – é isso que pode ler-se na sua recomendação ao Governo - , impõe-se que até à construção de raiz da nova maternidade sejam realizadas com carácter de urgência nas duas maternidades existentes as «intervenções e as obras de beneficiação que travem, desde já, a sua degradação»: modernizar as «instalações e serviços»; assegurar a «qualidade e a segurança»; suprir a «carência de médicos, enfermeiros, auxiliares e administrativos e outros técnicos».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: