Condenação pela agressão a Gaza

O Parlamento aprovou, dia 22, um voto apresentado pelo PCP de condenação pela «nova agressão israelita a Gaza» e pela «declaração da Administração Trump sobre os colonatos israelitas». Além da bancada comunista votaram favoravelmente PEV, BE, PS e PAN. Contra estiveram PSD, CDS, Chega (CH) e Iniciativa Liberal (IL), registando-se ainda a abstenção do Livre (L) e do deputado do PS Ascenso Simões.

«No dia 12 de Novembro, Israel lançou mais uma ofensiva sobre a Faixa de Gaza. Em dois dias, foram mortas 34 pessoas, entre as quais oito crianças, e mais de 100 ficaram feridas, incluindo 46 crianças», refere o voto, onde se salienta que «esta acção é indissociável da ilegal ocupação de territórios palestinianos por Israel e, em particular, do drama que se vive na Faixa de Gaza, há 12 anos sob um bloqueio desumano».

Sobre a recente declaração do secretário de Estado norte-americano em que este contesta haver ilegalidade dos colonatos israelitas, o texto sublinha que essa interpretação é reveladora do ponto a que «vai a cumplicidade dos EUA com a política de ocupação» por Israel.

Na parte resolutiva o voto «condena os bombardeamentos do exército israelita», «exige a libertação de Khalida Jarrar e dos restantes deputados palestianianos presos por Israel», «reafirma o carácter ilegal dos colonatos» e «reitera o direito do povo palestiniano à constituição de um Estado livre, viável, soberano e independente, com capital em Jerusalém Leste, conforme as resoluções da ONU».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: