Breves
Uruguai à espera dos resultados

No Uruguai, o Tribunal Eleitoral adiou o anúncio dos resultados definitivos da eleição presidencial de domingo, 24. Nessa noite, no final do escrutínio, registava-se um «empate técnico»: o candidato da direita, Luis Lacalle Pou, tinha pouco mais de 28 mil votos (cerca de 1%) de vantagem sobre o candidato da Frente Ampla, Daniel Martínez, um número inferior aos 35 mil votos litigiosos que estavam a ser analisados e recontados. Trata-se de votos de eleitores que não votaram nas circunscrições onde estão inscritos. Martínez obteve cerca de 47,5% dos votos, recuperando mais de oito pontos em relação à primeira volta, apesar de todos os partidos da direita e da extrema-direita terem apelado ao voto em Pou, do Partido Nacional.


Segunda volta na Guiné-Bissau

Os candidatos Domingos Simões Pereira e Umaro Sissoco Embaló vão disputar a segunda volta das eleições presidenciais da Guiné-Bissau, anunciou na quarta-feira, 27, a Comissão Nacional de Eleições, citada pela Lusa. Domingos Pereira, apoiado pelo PAIGC, foi o candidato que obteve maior percentagem de votos, 40,13%, não conseguindo mais de metade para vencer à primeira volta. Umaro Embaló, apoiado pelo Movimento para a Alternância Democrática (Madem-G15), foi o segundo mais votado e obteve 27,65% dos votos. A taxa de abstenção foi a mais elevada desde, pelo menos, 2005, situando-se nos 25,63%. O presidente da República cessante, José Mário Vaz, falhou a reeleição, sendo o quarto mais votado, com 12,41% dos votos. O chefe de Estado cessante ficou atrás do candidato apoiado pela Assembleia do Povo Unido-Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB) e pelo Partido da Renovação Social (PRS), Nuno Nabian, que conseguiu 13,16% dos votos. Em quinto lugar ficou o ex-primeiro-ministro Carlos Gomes Júnior, que conseguiu 2,66%, seguido de Baciro Djá, com 1,28%. A segunda volta vai realizar-se em 29 de Dezembro.