PCP honra compromissos e propõe abolição das portagens nas ex-SCUT

Concretizando a palavra dada nas eleições legislativas, o PCP entregou na Assembleia da República projectos de resolução com o objectivo de vincular o Governo à abolição das portagens em várias auto-estradas cujo pagamento foi instituído entre 2010 e 2011, informaram as organizações regionais de Viseu, Porto e Algarve do PCP.

No distrito de Viseu está em causa o fim das portagens em toda a extensão da A24 e da A25, que ligam Viseu e Chaves e Aveiro e Vilar Formoso, respectivamente. Com efeito, os comunistas defendem que a introdução das taxas não resolveu qualquer problema de ordem financeira nas contas públicas, como desde então vem sendo alegado, e agravou o peso da interioridade sobre população e agentes económicos, uma vez que não existem alternativas viáveis no que a outras vias de comunicação diz respeito.

Semelhante argumentação é usada para solicitar o fim do pagamento, por parte dos utilizadores, na A28, A29, A41 e A42, no Norte Litoral, Grande Porto, e Costa da Prata, lembrando-se, além do mais, que «a introdução de portagens foi feita ao arrepio dos interesses das populações, do tecido económico e de qualquer perspectiva de crescimento sustentado»

Já no Algarve, está em causa a livre circulação na Via do Infante (A22), recordando a OR do Algarve do PCP que «foram PS, PSD e CDS que rejeitaram, nos últimos oito anos, todas as propostas apresentadas pelo PCP para a abolição das portagens» quer nas ex-SCUT quer na auto-estrada algarvia.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: