Motivar os trabalhadores a lutar é outro dos desígnios das iniciativas
Contacto com mundo do trabalho é central para as propostas e o projecto comunista

PARTIDO Reforçar a relação com quem trabalha e, assim, o acerto da orientação política, e suscitar a identificação com o PCP, são objectivos imediatos que importa intensificar.

É justamente com esse propósito que, no âmbito da campanha em curso sob o lema central «Intervir, Lutar, Avançar», organizações do Partido têm em marcha iniciativas de contacto com trabalhadores.

No Algarve, por exemplo, a acção decorre com a consigna «E depois do Verão?» e tem como alvos prioritários aqueles que laboram no sector da hotelaria. Com efeito, entre Setembro e Outubro, cerca de 18 mil trabalhadores foram empurrados para o desemprego, facto que evidencia a «dura realidade que marca o desenvolvimento» do turismo na região, marcado por «uma forte sazonalidade, baixos salários e precariedade».

Ora, «tudo isto» ocorre quando, «ano após ano, têm crescido quer as vendas, quer o número de turistas, quer ainda os lucros deste sector», nota a Direcção Regional do Algarve do PCP em nota enviada às redacções a respeito das primeiras iniciativas da campanha, realizadas segunda-feira, 4, junto dos centros de emprego de Faro, Portimão e Albufeira.

A campanha, assegura também o Partido, estender-se-á «às principais unidades hoteleiras de toda a região algarvia durante o mês de Novembro e dará a conhecer as propostas do PCP para o aumento geral dos salários, incluindo do salário mínimo nacional para 850 €».

Objectivos imediatos

e desígnio maior

Em destaque estarão igualmente as propostas comunistas «para o combate à precariedade», nomeadamente as exigências de que «a um posto de trabalho permanente corresponda um contrato efectivo de trabalho» e de que «seja assegurado o respeito pelos horários e restantes direitos de quem trabalha»,.

Motivar os trabalhadores a lutar pelo emprego com direitos e contra uma legislação laboral «cada vez mais próxima dos interesses do grande capital – e que se agravou com as recentes alterações impostas por PS, PSD, CDS e PAN», é outro dos desígnios da iniciativa materializada pelos comunistas algarvios, que insistem que «num momento em que se enchem as páginas dos jornais e se abrem noticiários com os recordes do sector do Turismo, torna-se ainda mais incompreensível que não se avance com essa emergência que é a do aumento dos salários já a partir de 1 de Janeiro, assegurando a recuperação do poder de compra perdido ao longo da última década».

No folheto em distribuição, além da denúncia da situação e das propostas do Partido, recorda-se, por outro lado, que «sem trabalhadores não há turismo». Aliás, «não haveria nem turismo nem os lucros fabulosos que este proporciona», uma vez que são os trabalhadores quem «cria riqueza», explica-se, promovendo, desta forma, a consciência acerca das relações de exploração vigentes, cujo fim é, afinal, o objectivo estratégico do PCP.

Nas empresas

e nas ruas

Igualmente sob o lema da campanha geral «Intervir, Lutar, Avançar», a Organização Regional de Braga do PCP leva a cabo, desde há cerca de duas semanas, um conjunto muito amplo de acções de contacto com os trabalhadores e populações do distrito.

«Trata-se de uma “Caravana Regional” que entre os dias 25 de Outubro e 14 de Dezembro fará um périplo pelas localidades e empresas do distrito», informou a ORB, que reitera que «será com a luta dos trabalhadores e das populações que se poderá continuar a defender direitos, impedir retrocessos e tornar possíveis avanços que contribuam para uma vida melhor», e garante que, «honrando os compromissos assumidos com os trabalhadores e o povo do distrito de Braga, o PCP não faltará com a sua iniciativa e determinação para fazer o País e a vida dos portugueses andar para a frente; para lutar por uma política alternativa patriótica e de esquerda que, em ruptura com a política de direita, garanta um Portugal com futuro».

O acto de abertura da caravana regional que se estende até meados do próximo mês, ocorreu junto à entrada da empresa têxtil Lima & Companhia, em Vila Nova de Famalicão, e nele interveio Gonçalo Oliveira, membro da Comissão Política do Comité Central.


Luta, convívio e formação

A célula dos trabalhadores comunistas na Autoeuropa promoveu, dia 26 de Outubro, na Quinta da Atalaia, um almoço-convívio. A iniciativa, envolvendo fundamentalmente aqueles que participaram na implantação da Festa do Avante! e asseguraram o funcionamento do bar «O Faísca» no espaço da Organização Regional de Setúbal, foi marcada pela «fraternidade». E foi dessa forma que foram saudados os quatro novos militantes daquela organização do PCP, recrutados em Outubro.

«Este convívio ocorreu no seguimento da reunião da Célula da Autoeuropa do PCP, na qual se discutiu a situação política nacional, na empresa e o reforço do Partido», tendo-se concluído pela necessidade do «reforço do Partido na empresa» e assumido «medidas para a dinamização e intervenção junto dos trabalhadores», bem como a oportunidade da intensificação da campanha de contactos, aumentando «o número de amigos que já recebem a informação através da Célula».

Na reunião, relatou a estrutura partidária em nota enviada ao Avante!, decidiu-se ainda a importância do «aprofundamento» da ligação aos trabalhadores da Autoeuropa que recebem informação da Célula, visando «novos recrutamentos, bem como «a elevação do nível ideológico dos membros do Partido», a difusão e discussão da imprensa do PCP e a formação e responsabilização de quadros.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: