Breves
AÇORES
Abastecimento por garantir

Cerca de um mês passado sobre a passagem do Furacão Lorenzo pelo arquipélago dos Açores e a destruição do porto das Lajes das Flores, o abastecimento da ilha permanece por assegurar. O alerta é do grupo parlamentar do PCP na Assembleia Legislativa Regional, que em comunicado denuncia que o barco encontrado pelo governo açoriano para o transporte de bens só efectuou dois abastecimentos em quatro semanas, deixando população e comerciantes confrontados com a ruptura de stocks.

Neste contexto, o PCP defende que a ligação comercial às Flores seja feita por um navio capaz de transportar 45 contentores, bem como animais, uma vez que os agricultores continuam impossibilitados de escoar as mil cabeças de gado vivo já prontas a exportar.


SETÚBAL
Falta de pessoal

O Centro de Apoio à Aprendizagem da Escola Básica Luísa Todi foi forçado a abrir a tempo parcial devido à falta de trabalhadores, designadamente professores de educação especial e auxiliares de acção educativa. Ao ter conhecimento desta situação, que coloca em causa a Escola Inclusiva e mostra que para que esta se concretize é necessário investimento, desde logo em pessoal docente e não-docente, o PCP, através do seu grupo parlamentar, questionou o Governo acerca do caso e quando e como pretende resolvê-lo.


MADEIRA
Médico e Enfermeiro de família para todos

O PCP pretende que o direito a ter médico e enfermeiro de família seja concretizado. Nesse sentido, apresentou na Assembleia Legislativa Regional um projecto de resolução que insta o governo madeirense a «assegurar, por via do reforço do número de profissionais e de meios de promoção activa de saúde, a materialização deste objectivo».

A fim de tomar o pulso à execução da medida, o Partido propõe no referido texto que seja elaborado e entregue ao hemiciclo um relatório anual.


ALBERGARIA
Centro de Saúde sem condições

A Comissão Concelhia de Albergaria-a-Velha do PCP manifestou a sua solidariedade para com profissionais e utentes do Centro de Saúde local, o qual, reiterou, devia já ter sido requalificado. No final da semana passada, aquela unidade teve de ser encerrada devido à acumulação de água no interior do edifício, de tal forma degradado que não resistiu à precipitação registada.