O voto na CDU foi transformado sempre em luta e trabalho
Defesa do ambiente precisa de actos e não de proclamações vazias

CONFIANÇA Dia 27, a meio da campanha eleitoral, Jerónimo de Sousa rumou ao Algarve, cumprindo uma jornada que o levou de Silves a Faro.

Em todas as acções sobressaiu das suas palavras a ideia de que «é possível o reforço da CDU», confiança que transmitiu, sempre acompanhada do apelo à mobilização e participação de todos na batalha do esclarecimento.

«Afirmar a nossa confiança, afirmar que estamos no caminho certo, que é possível uma alteração na política nacional, que é possível melhorar a vida de quem trabalha», sublinhou em São Bartolomeu de Messines o líder comunista, para quem a confiança tem por alicerces o valioso trabalho desenvolvido pelos deputados do PCP e PEV ao longo desta Legislatura, materializado num conjunto vasto de «propostas positivas para que o País avançasse».

Com uma recepção calorosa nesta almoço, que juntou cerca de 250 pessoas, foi ao som dos tambores do Clube da Batucada da Casa do Povo de São Bartolomeu de Messines, que o aguardava no espaço exterior, que Jerónimo de Sousa entrou no edifício do quartel dos Bombeiros Voluntários de São Bartolomeu de Messines. A acompanhá-lo estavam candidatos da CDU e responsáveis políticos regionais e nacionais dos partidos que integram a coligação PCP-PEV, entre os quais Vasco Cardoso e Rui Braga, respectivamente da Comissão Política e do Secretariado.

«CDU avança com toda a confiança» foi depois o grito que marcou a entrada do líder comunista no amplo salão já cheio por quem não lhe regateou palmas, entre abraços e beijos, numa expressão de enorme simpatia e afecto.

Acção sem paralelo

Confiança que foi, de resto, uma tónica também muito presente na intervenção do primeiro candidato da lista CDU pelo círculo algarvio, Tiago Raposo, o primeiro a intervir neste almoço presidido por Rosa Palma, edil que está à frente da Câmara Municipal de Silves.

«Hoje, passados quatro anos, podemos dizer com orgulho que a CDU mereceu plenamente a confiança dos algarvios», afirmou o candidato, assegurando que essa acção prosseguirá com o mesmo empenho e determinação. Uma intervenção orientada, entre outros aspectos, pelo fim das portagens e por mais investimento público na EN125, na EN124, na electrificação de toda a linha do Algarve, na reflorestação e ordenamento da Serra Algarvia, no desassoreamento do Rio Arade e dragagens na Ria Formosa, na requalificação e desenvolvimento dos portos algarvios, na protecção dos ecossistemas e do meio ambiente».

No dia em que se realizaram diversas acções juvenis em defesa do ambiente, Jerónimo de Sousa congratulou-se com todos os jovens que, «de forma genuína», saíram à rua por aquele objectivo, «acções nas quais a Juventude CDU participou sob a consigna Capitalismo não é Verde».

Defendendo que é necessário agir com «actos concretos» e não com «proclamações vazias», Jerónimo de Sousa apontou algumas dessas medidas que considera imprescindíveis, como sejam, por exemplo, o investimento no alargamento da oferta com mais serviços e melhor conforto nos transportes públicos, o Programa Global para o equilíbrio ecológico, ou a defesa da nossa Floresta, com a valorização das espécies autóctones, e com uma intervenção imediata nas áreas ardidas como é o caso de Monchique e de Silves.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: