Disputar voto a voto a voto, eleitor a eleitor

O Secretário-geral do PCP concluiu a sua passagem por terras algarvias com um grande comício na cidade de Faro. «Que bela noite. Que belo comício», foram as primeiras palavras de Jerónimo de Sousa dirigidas às largas centenas de pessoas presentes no Jardim Manuel Bívar, em plena Baixa da capital algarvia. E não foi  apenas a temperatura amena naquela noite de outono, nem a presença de tão elevada massa de gente – rondaria as 400 pessoas –, que levaram o líder comunista a reagir ao que o seu olhar observava a partir do palco. A motivá-lo não pode ter deixado de estar também a atmosfera de entusiasmo, alegria e confiança ali patentes. Essa foi a constante ao longo da noite, que começou logo com a boa música popular portuguesa pelo grupo «Arraial Lá Lá» e só terminou quando Catarina Marques, candidata, que dirigiu o comício, deu este por encerrado, momento em que voltou a ouvir-se ainda com mais força um grito colectivo a sublinhar bem alto que «A CDU avança com toda a confiança».

Confiança que perpassou as intervenções de Paulo Sá, deputado e mandatário distrital da CDU, Tiago Raposo, primeiro nome da lista, bem como a de Jerónimo de Sousa. E o que não falta são razões para esse sentimento de forte confiança. Paulo Sá, que deixa uma marca de competência e qualidade no exercício do seu mandato como deputado, sumariou algumas dessas razões, lembrando, por exemplo, que «todos e cada um dos votos» que os algarvios confiaram na CDU em 2015 «foram transformados em luta e em trabalho». Uma «intensa actividade na frente parlamentar que não teve paralelo nas outras forças políticas da região», frisou, lembrando que isso teve uma tradução concreta: a «CDU fez mais com um deputado do que PS, PSD, BE e CDS fizeram com oito deputados».

Trabalho este de quem «está vinculado com os interesses dos trabalhadores e do povo», sublinhou, por sua vez, Tiago Raposo, lembrando que foi com a CDU que o «direito a viver e produzir na Ria Formosa ganhou eco na AR».

«A CDU foi a voz em defesa da serra algarvia, cada vez mais despovoada e desertificada», prosseguiu o candidato, que deixou clara a garantia de que estes são combates a prosseguir e de que neles estará de corpo e alma.

Falando do que está em jogo em 6 de Outubro – saber se é possível avançar ou, pelo contrário, há o risco de andar para trás, como insistentemente alertou –, Jerónimo de Sousa  mostrou-se também confiante no reforço da CDU. 

E lembrando que «nós queremos fazer o País avançar», realçou que «está nas mãos do povo português, na sua vontade, na sua força, na sua determinação, na sua confiança, garantir que o País avança».



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: