Quando, para ganhar votos, se sacrificam os valores de uma justiça democrática no altar da demagogia justiceira, é a própria democracia que se está a secundarizar. A extrema-direita sabe-o muito bem, e por isso o faz.”

(António Filipe, Público, 12.9.19)

 

Transporte de passageiros aumenta no segundo trimestre à boleia do novo passe.”

(Título, Público, 13.9.19)

 

Eles [o Estado de Israel] estão a tentar legalizar a ocupação com a anexação. Querem dizer ‘isto [Vale do Jordão] é parte de Israel, não são territórios ocupados’.”

(Nabil Abuznaib, embaixador da Palestina

em Portugal, Sol, 14.9.19)

 

É uma oportunidade única, uma oportunidade histórica [para anexar o Vale do Jordão].”

(Benjamin Netanyahu, i, 17.9.19)

 

O sound bite é, assim, mais importante do que a realidade e é mesmo, em muitos casos, a única razão de ser de muitas das entrevistas aos responsáveis políticos abordarem mais a forma dos seus discursos do que o seu conteúdo efectivo e, menos ainda, a realidade que eles quiseram versar ou escamotear.”

(António Cluny, i, 17.9.19)

 

Nas profundezas de um túnel sob uma plantação de ananases – uma antiga fábrica subterrânea de aviões da era Pearl Harbour – sentava-me diante de um terminal que me dava um acesso quase ilimitado às comunicações de praticamente qualquer homem, mulher ou criança que à face da Terra usasse um telefone ou um computador.”

(Edward Snowden, Público, 17.9.19)

 

O sistema de vigilância quase universal tinha sido criado não só sem o nosso consentimento, mas também de uma forma que escamoteava ao conhecimento, de intenção deliberada, todos os aspectos dos seus programas.”

 

(Idem, ibidem)