CDU reclama uma nova política de habitação social para a Madeira

«Quer o Governo Regional, quer as autarquias, demitem-se das suas obrigações quanto à habitação social», acusou, no passado dia 6, no Bairro de São Gonçalo, Funchal, Herlanda Amado, primeira candidata da CDU pelo círculo eleitoral da Madeira às legislativas de 6 de Outubro.

Tendo em conta que «houve uma quebra profunda nos financiamentos públicos para a promoção habitacional» e que tem «vindo a aumentar o número de famílias em lista de espera», a cabeça de lista alertou para a urgência de «uma nova política de habitação social».

«A Região precisa de uma nova política de habitação, com objectivos e metas definidas, com um relançar de investimento público na construção de mais habitação social», defendeu, salientando que «não podem continuar a existir formas de tratamento injusto na aplicação de dinheiros públicos, em que os governantes não revelam qualquer sensibilidade na resolução dos problemas da famílias que esperam e desesperam sem respostas resolutivas».

«Não podemos continuar a falar destas famílias como se fossem estatísticas, sem que se tomem medidas concretas para a resolução deste grave problema de emergência social», continuou Herlanda Amado.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: