Breves
Caxemira: tensão Índia-Paquistão

As Nações Unidas pediram a máxima moderação na região de Caxemira, onde prevalece uma situação tensa entre a Índia e o Paquistão. Nova Delhi revogou a autonomia do Estado de Jammu e Caxemira. Em resposta, Islamabad decidiu suspender o comércio e reduzir as relações diplomáticas com Nova Delhi. Na parte indiana do território, de maioria muçulmana, há fortes sentimentos separatistas desde a divisão da região entre Índia e Paquistão, depois da independência de ambos os países do domínio colonial britânico, em 1947. Caxemira está dividida por uma fronteira militar e Nova Delhi e Islamabad reclamam a soberania sobre a totalidade da região.


China e Japão retomam diálogo

A China e o Japão retomaram o diálogo estratégico bilateral interrompido há sete anos. A nova sessão de conversações, em Tóquio, reuniu delegações chefiadas pelos vice-ministros dos Negócios Estrangeiros dos dois países, o chinês Le Yucheng e o nipónico Takeo Akiba. Segundo fontes oficiais chinesas, nesta ronda o diálogo centra-se na análise dos pontos de vista de ambas as partes sobre as relações bilaterais, assim como em assuntos da conjuntura internacional e regional. Desde Maio de 2005, Pequim e Tóquio realizaram 13 sessões de diálogo estratégico, até à sua suspensão, em Junho de 2012, sobretudo por disputas territoriais.


Asean inaugura sede em Jacarta

O presidente da Indonésia, Joko Widodo, e os ministros dos Negócios Estrangeiros dos 10 países membros da Associação de Países do Sudeste Asiático (Asean) celebraram a 8 de Agosto, em Jacarta, os 52 anos do pacto e inauguraram a nova sede, na capital indonésia. Fundada em 1967 em Banguecoque, integra hoje a Tailândia, Indonésia, Filipinas, Malásia, Singapura, Brunei, Vietname, Laos, Myanmar e Cambodja, países que geram, em conjunto, um Produto Interno Bruto superior a 2,5 biliões (milhões de milhões) de dólares, constituindo a sétima maior economia mundial.


Mudanças climáticas e escassez alimentar

A segurança alimentar será cada vez mais afectada pelas mudanças climáticas devido à diminuição do rendimento agrícola e ao aumento dos preços, afirma um relatório científico da ONU. De acordo com o Grupo Intergovernamental de Peritos das Mudanças Climáticas (IPCC), organismo ligado às Nações Unidas, «veremos diversas consequências em diferentes países, mas haverá um impacto mais drástico nos países de menores recursos em África, Ásia, América Latina e Caraíbas». Os cientistas avisam que, com um aquecimento global de 1,5 graus, há riscos, entre outros, de escassez de água, incêndios, degelo e instabilidade no sistema alimentar.


Direita vence na Guatemala

Alejandro Giammattei, de direita, venceu a segunda volta da eleição presidencial na Guatemala, no domingo, 11, derrotando Sandra Torres, do centro-esquerda. Os resultados anunciados pelo Supremo Tribunal Eleitoral indicam que Giammattei, do partido Vamos, venceu com cerca de 58% dos votos, contra os 42% da candidata da Unidade Nacional de Esperança. Mais de metade dos oito milhões de eleitores guatemaltecos inscritos absteve-se de ir às urnas. O candidato eleito no país centro-americano tomará posse a 14 de Janeiro de 2020 e sucederá ao actual presidente, Jimmy Morales, para um mandato de quatro anos.


Eleições na Tunísia a 15 de Setembro

Na Tunísia, mais de 50 candidatos inscreveram-se na Instância Superior Independente das Eleições tendo em vista a eleição presidencial de 15 de Setembro. Entre os aspirantes contam-se o actual primeiro-ministro, Yusef Chahed, e o ex-ministro da Defesa, Abdelkarim Zebidi, do partido governante, Nidaa Tounes, além de outros antigos governantes. A eleição realiza-se na sequência da morte, a 25 de Julho, do presidente Béji Caid Essebsi, com a idade de 92 anos. Mohamed Ennaceur, até há pouco presidente do parlamento, desempenha interinamente o cargo de chefe do Estado.