Na INCM não há aumento salarial há nove anos
Greve na Casa da Moeda por salários mais justos

REIVINDICAÇÃO Os trabalhadores da Imprensa Nacional Casa da Moeda (INCM) estão em greve, por períodos de duas horas, para exigir salários mais justos.

Os trabalhadores e os sindicatos da Fiequimetal – Federação Intersindical das Indústrias Metalúrgicas, Químicas, Eléctricas, Farmacêutica, Celulose, Papel, Gráfica, Imprensa, Energia e Minas/CGTP-IN – contestam o irrisório aumento salarial de 12,80 euros, para todos os trabalhadores, insistindo que na INCM não há aumento salarial há nove anos.

Em plenário, realizado a 26 de Junho, os trabalhadores decidiram paralisar nos dias 8, 9, 11 e 12 de Julho, na região de Lisboa, das 6h00 às 8h00, das 13h30 às 15h30 e das 17h30 às 19h30. No Porto e em Gondomar as greves ocorrem nas duas últimas horas do segundo período de trabalho.

Amanhã, 12, os trabalhadores vão deslocar-se à sede da Parpública (rua de Santa Marta, 55, Lisboa), durante o período de greve das 13h30 às 15h30, para mostrarem ao accionista o seu descontentamento face à proposta do Conselho de Administração e reafirmarem as exigências de um aumento salarial de 35 euros para todos os trabalhadores e uma justa distribuição da riqueza criada pelos trabalhadores na empresa.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: