Investimentos insuficientes na ferrovia

A Comissão de Utentes da Linha de Sintra (CULS) congratulou-se com a decisão do Governo de reintegrar a EMEF na CP até ao final do ano de 2019, bem como a intenção de garantir que a EMEF tenha condições, a curto prazo, para avançar com a recuperação, renovação e manutenção de material circulante, prometendo a reabertura das oficinas.

Entre várias medidas dirigidas ao transporte ferroviário público, foram ainda anunciados investimentos na ordem dos 45 milhões de euros, nove dos quais a concretizar ainda este ano.

Em nota de imprensa de 5 de Julho, a CULS assinala, no entanto, que, face à acentuada degradação do serviço e às necessidades de reparação do material circulante avariado, «estas medidas devem ser concretizadas de imediato, antes do término do mandato do actual Governo, caso contrário correm o risco de não passar de mera propaganda eleitoral». Os utentes consideram, igualmente, que «os volumes de investimento estão claramente aquém do necessário para levar a cabo as intenções» do Executivo PS.

A CULS criticou, também, as alterações da oferta de comboios entre 23 de Junho e 7 de Setembro, uma decisão «injustificada» que apenas «serve para mascarar o número de supressões neste troço». «Esta redução não leva em conta o muito significativo aumento de passageiros que se verificou após a introdução do novo preçário dos passes intermodais», salientam os utentes.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: