CPPME

A única Confederação Portuguesa Empresarial que defende em exclusivo os micro, pequenos e médios empresários (MPME) comemorou, no dia 16 de Junho, o seu 34.º aniversário.

Na sua sede nacional, no Seixal, teve lugar um acto solene, presidido por Clementina Henriques, presidente da Assembleia Geral da Confederação Portuguesa das Micro, Pequenas e Médias Empresas (CPPME). A iniciativa contou com as intervenções de Jorge Pisco, presidente da Direcção da CPPME, e de Joaquim Santos, presidente da Câmara Municipal do Seixal.

Jorge Pisco destacou, no início, as «profundas transformações do tecido económico nacional» nos últimos 34 anos, ao longo dos quais a CPPME foi «crescendo a desenvolver a sua actividade na defesa dos MPME».

«Poucos anos após a sua constituição, a CPPME vê-se confrontada com uma realidade política e económica bem diferente daquela que levara ao seu aparecimento. As políticas governamentais promovidas visaram o favorecimento dos grandes grupos da distribuição comercial, facilitando a proliferação da sua implantação por todo o País, levando à liquidação de muitos milhares de MPME», acusou.

Reclamando uma «política alternativa», Jorge Pisco exigiu do actual Governo «medidas imediatas e a médio prazo», de forma a garantir «o investimento produtivo» e dinamizar «o mercado interno nacional». «É imperativa uma boa aplicação dos fundos comunitários, garantindo o acesso às MPME» e «aumentando o poder de compra dos portugueses», defendeu.

Como positivo, ao fim de 20 anos de luta, valorizou o fim do PEC, «tributação cega e injusta, um método indiciário e colecta mínima, ao qual desde o princípio nos opusemos».

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: