Novo director-geral da FAO apela à eliminação da fome e da pobreza

O novo director-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Qu Dongyu, apelou em Roma ao trabalho em favor dos objectivos da ONU para eliminar a pobreza e a fome e por um mundo mais sustentável.

Na capital italiana, os representantes de 191 estados-membros da organização que participaram no 41.º período de sessões da Conferência da FAO, instância dirigente do organismo internacional, elegeram o representante da China com 104 votos à primeira volta, contra a francesa Catherine Geslain-Lanéelle (74 votos) e o georgiano Davit Kirvalidze (12). Cada país-membro teve direito a um voto.

Qu Dongyu, vice-ministro da Agricultura e dos Assuntos Rurais da China, substitui no cargo de diretor-geral da FAO, para o período 2019-2023, o brasileiro José Graziano da Silva, que desempenhou aquelas funções desde 2011.

A agenda da Conferência da FAO, cujos trabalhos decorreram na sua sede, em Roma, até finais de Junho, incluiu temas como a migração, a agricultura e o desenvolvimento rural, a preservação dos recursos naturais, a adaptação às alterações climáticas e o impacto dos conflitos bélicos, além de outros como o movimento de pessoas do campo para a cidade e o impacto dos sistemas produtivos sobre o ambiente.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: