- Edição Nº2380  -  11-7-2019

A CDU tem provas dadas em Aveiro

REFORÇO O primeiro candidato da CDU do círculo eleitoral de Aveiro, Miguel Viegas, foi apresentado no dia 6 deste mês, numa iniciativa realizada em Estarreja que contou com a presença de uma centena e meia de apoiantes.

O candidato, antigo deputado no Parlamento Europeu (PE), veterinário, professor universitário e dirigente sindical, foi a escolha da CDU para Aveiro. «O nosso distrito é um exemplo acabado daquilo que foram décadas de política de direita aplicadas no nosso país», lamentou Miguel Viegas, para quem o distrito sofreu não só às mãos do desinvestimento, mas também pelas políticas europeias que amarram o aparelho produtivo nacional.

No distrito é já muito o trabalho realizado pela coligação. No panorama do PE, Miguel Viegas salientou a valorização da produção local, com a denominação de origem dos ovos moles e o mesmo processo já em curso para o leitão da Bairrada. O mesmo aplicou ao vinho da Bairrada: «é necessário defender e projectar as castas locais».

O candidato referiu também as intervenções realizadas junto das empresas, como é o caso da Órbita, uma emblemática empresa de bicicletas, e na área da saúde, como no Hospital de Espinho.

A CDU tem de facto provas dadas no distrito de Aveiro, mas é preciso ir mais longe. Pelo direito à mobilidade, com a valorização da Linha do Vale e Vouga e na implementação de um passe social para os que fazem o trajecto pendular entre Aveiro e Porto. É preciso avançar na revitalização do tecido industrial «com propostas pensadas e não com propostas abstractas caídas do céu». Com «propostas que se baseiam na realidade e na intervenção local do Partido, que é colossal».

Dar voz aos anseios
Jerónimo de Sousa, também presente na iniciativa, salientou que as eleições de 6 de Outubro são para eleger deputados e não para eleger o primeiro-Ministro e que tal tinha sido provado em 2015, quando se impediu mais uma legislatura «de malfeitorias» de PSD e CDS.

«Em Aveiro falta só um bocadinho» afirmou o Secretário-geral: em 2015, faltaram 1684 votos para ser da CDU o 16.º deputado eleito por aquele círculo. «Sabemos que vai ser uma batalha eleitoral difícil. Sabemos que nos vão secar, deturpar e silenciar a mensagem, mas também sabemos que temos uma mais-valia para travar este combate desigual. São vós, somos todos nós», finalizou Jerónimo de Sousa, com uma nota de motivação para os presentes.

Do PEV, Miguel Martins salientou a importância ambiental de todas as conquistas alcançadas pela CDU nesta legislatura. Desde o incentivo à utilização de transportes colectivos, com os passes sociais, à contratação de vigilantes da natureza. O dirigente ecologista terminou lembrando que «a luta ecologista por um ambiente sadio e pela vivência em harmonia com a natureza é uma luta de todos».